sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sabor com história I (ou outra maneira de dizer EVO)

Não poderia escrever esta trilogia de posts sem começar pelos doces regionais portugueses, da zona de Aveiro, que mais amoooooo!!! E como hoje os tenho em casa, é ao sabor doce, doce, doce dos ovos moles de Aveiro e a escutar Chopin que vos escrevo este post inédito.


Ele. Espanhol em Portugal, com o amor de sua vida. Em Aveiro. Conheceram-se em jovens e souberam ainda antes do primeiro olhar que nada iria ser igual. Com o decorrer dos anos, constatou com alguma lástima que o escassear do cabelo era directamente proporcional ao acréscimo de peso e dos problemas de saúde inerentes. Ela ainda fresca e saudável - cuida-se! - Ele com um grave problema de colesterol que não lhe permite as ousadias gastronómicas que nunca conseguiu relegar para um segundo plano. Filho de uma mãe italiana cuja distracção na sua vida de dona de casa abastada sempre fora experimentar a gastronomia de todos os países por onde viajaram e a gabavam de não repetir um prato a cada dia do ano, estava-lhe na massa do seu sangue gordo o prazer de abrir portas à Dona Gula. Ela cuidava-o, aconselhava-o, mas não havia forma de contornar o tanto que ele gostava de queijos e não abdicava da sua matéria 60% gorda... Ela era engenhosa na forma de o cuidar. Ela é o seu quesito (=queijinho em espanhol).
Ela em Aveiro, naquela eterna viagem, quis comprar uma barrica. Afinal é o seu doce favorito! Mas não permitiu que o seu amor provasse sequer uma colherzinha daquele ouro puro que é veneno na contagem de triglicéridos. Ele insistiu, apelou, pestanejou até, fez aquele olhar de cachorrinho sem dono... que não poderia viver sem pelo menos uma vez na vida provar o doce favorito da sua amada! Ela olhou-o nos olhos relevando o dengo e sorrindo, disse: "Uma vez na vida, então." Ele aceitou o desafio sustendo o olhar intenso. Ela riu e inventaricou ali, num momento irrepetível, uma maneira subtil de seu amor saber como os ovos moles são doces sem os provar: mergulhou a sua língua na barrica, inundou a boca com o sabor único que acordou todos os sentidos, e de seguida, beijou-o longamente.
Se me perguntarem ainda hoje a que sabem os ovos moles de Aveiro? Sabem a beijo bom, bom, bom...!! Sabem ao melhor beijo da minha vida.

Receita:

Sendo este um doce regional, muitos podem afirmar que publicam a receita original, mas quer saber? Eu não creio que seja A original... Aqui fica publicado um link da receita mas, na minha modesta opinião, a verdadeira maneira de conhecer esse doce? 

Venha até Portugal, e nessa viagem, mesmo que não vá a Aveiro, em todas as cidades já se vende os doces regionais (oieee? somos um país bem pequeno, viu? Bem menor que qualquer um dos vossos estados!!!) Então, venha a Portugal, prove ovos moles e... sendo o caso, se puder, beije...


3 comentários:

✿ chica disse...

Que beleza de post e por aqui , a D.Gula ficou com vontade!! Devem ser ótimos!! beijos,tudo de bom,chica

Ana Paula Motta disse...

Um texto delicioso como os ovos moles de Aveiro, tem vida na tua escrita.

Familia Chatos - Claudia disse...

Ana querida, que vontade de comer esses doces!!! Ador ovos moles!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...