sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Fim de ano...Comidinha da sorte


Do:comidinhas.ig

Uvas:
Repletas de sementes ou nascidas em cachos, elas trazem a ideia de multiplicidade e fartura. “A uva é nobre em muitas culturas. É a fruta que dá o vinho de Baco, o deus mitológico dos excessos, da fartura e das festividades". As frutas da estação pautam e alimentam as tradições”.

Torta de uva

Ingredientes:
2 xícaras (chá) de farinha de trigo

½ xícara (chá) de açúcar

1 ovo + 1 clara

½ colher (sopa) de casca de limão ralada

¼ de xícara (chá) de vinho do Porto (60 ml)

50 g de manteiga em temperatura ambiente

½ colher (sopa) de fermento em pó

2 xícaras (chá) de uva rosada , sem sementes

Açúcar para polvilhar

Modo de Preparo:
Na batedeira, com a pá de massa, misture a farinha, o açúcar, o ovo e a clara, a casca de limão, o vinho do Porto, a manteiga e o fermento até formar uma massa. Coloque em uma superfície e abra, formando um círculo de 1 cm de espessura. Distribua uma parte das uvas sobre a massa e enrole a massa, das bordas para o centro, para que todas as uvas fiquem cobertas com a massa. Aperte delicadamente para que a uva fique aderida à massa. Cubra a superfície com a uva restante, polvilhe açúcar e leve ao forno quente (200°C), preaquecido, por 40 minutos ou até dourar. Retire do forno e sirva morna ou fria.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Ementa de Natal

Nossa ceia de 2009

Ano corrido, cardápio decidido sem ajuda (coisa que nunca aconteceu), abaixo a ementa da ceia de Natal, dessa vez mais reduzida que de costume.

Peru recheado com castanhas

Bacalhau de Natal à minha moda


Farofa


Brigadeiro de Natal

Vou postar apenas algumas das receitas, outras estão com link porque já foram postadas aqui.

Bacalhau de Natal á minha moda

500 g de bacalhau 
2 cebolas
azeite q.b
600 g de batata
1 caixa de creme de leite (natas)
2 dentes de alho
azeitonas q.b.
2 tomates
1 pimentão vermelho
1 colher de sobremesa de vinagre
sal q.b.

Refogue uma cebola picada em duas colheres de azeite e junte o bacalhau demolhado e desfiado. Reserve. Faça um purê com as batatas e as natas (creme de leite). Junte o bacalhau e o purê. Espalhe a mistura em um pirex. 
Faça um molho. Refogue uma cebola cortada em meia lua e depois em fatias finas e um dente de alho em rodelas. Junte o vinagre, os tomates, e o pimentão cortado em fatias na diagonal, acerte o sal e junte mais azeite. Cubra o bacalhau com o molho, espalhe azeitonas e leve ao forno bem quente por cerca de 15 minutos. 

Peru recheado com castanhas
Ceia de 2011, post atualizado dia 26

Tempere o peru a gosto ( uso alho, vinagre, sal e vinho) de véspera. 
Recheio: 300 gramas de castanhas cozidas e amassadas, 100g de bacon em cubinhos, 100g de sultanas  (passas brancas), 100g de nozes, 100g de amêndoas. Frite o bacon, junte as castanhas amassadas e deixe apurar o sabor, junte as sultanas e desligue o fogo, junte as amêndoas e as nozes. Espere esfriar e recheie o peru. Asse como de costume.

Brigadeiro de Natal

2 latas de leite condensado
2 latas de creme de leite
2 colheres de manteiga ou margarina
6 colheres de chocolate em pó 
200 g de nozes
2 colheres de licor de laranja 
Derreta a manteiga junte o leite condensado e o chocolate. Quando ferver conte 5 minutos e desligue o fogo. Junte as nozes. Espere esfriar e junte o creme de leite e depois o licor de laranja. Ponha em uma compoteira.

Pois aí está, uma ceia simples que os tempo estão difíceis, mas saborosa e com os sabores tradicionais.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Já é Natal

Como sou professora e jornalista na época de Natal nunca tenho tempo sobrando porque antes de entrar em férias tenho que dar conta de muitas tarefas.

Todo ano prometo postagens de Natal aqui no blog, mas nunca consigo.

Hoje descobri essa receita de peru, ideia para quem não tem muito tempo mas não abre mão da tradição da ceia ou do almoço de Natal.

Não fiz a receita, o peru da minha ceia será receheado com castanhas e maçã e está descongelando desde quarta-feira, no entanto fica aqui para quem não sabe o que vai preparar.


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Encharcadinho de Chocolate Amargo





Essa é uma receita francesa de bolo de chocolate que fica bem molhadinho que retirei de um Blog amigo. Como quase tudo na culinária francesa, essa receita pede muita manteiga e se torna bem calórica. Não substitua a manteiga por margarina de jeito nenhum, se estiver de dieta, coma só um pedacinho…

Dicas: para saber se o bolo está no ponto, faça o teste encostando a ponta dos dedos com cuidado na superfície do bolo, nas bordas e no centro. Nas bordas a massa deverá estar firme e no centro, mole como um pudim, mas sem sujar o dedo.
Esse bolo não pode ser deserformado, pois se quebrará. Caso você queira deserformá-lo, asse-o em assadeira com fundo removível forrando o fundo e as laterais com papel manteiga.

Se for guardado em geladeira, deixe-o voltar a temperatura ambiente antes de servir.

Rende 8 porções

Ingredientes:
200g chocolate amargo 70% em gotas ou picado
150g manteiga com sal
4 ovos grandes inteiros
150g açúcar mascavo
50g farinha de trigo
50g castanhas ou nozes picadas (opcional)

Preparo:
1. Pré-aqueça o forno em 180C. Unte com manteiga e polvilhe açúcar uma assadeira redonda (20cm). Reserve.
2. No microondas ou em banho-maria, derreta o chocolate.
3. Em uma panela pequena, derreta a manteiga, cuidando para não queimá-la. Desligue o fogo.
4. Na batedeira, bata os ovos com o açúcar mascavo, até ficar um creme claro e fofo, cerca de 3 minutos.
5. Ainda com a batedeira ligada, adicione a manteiga derretida e bata para misturar.
6. Desligue a batedeira. Adicione o chocolate derretido, a farinha e as castanhas, caso as esteja utilizando. Misture com uma espátula com cuidado, até que a mistura se torne homogênea.
7. Deite a mistura na forma e asse por 25-30 minutos. Faça o teste para saber se o bolo está pronto. O tempo de forno pode variar conforme o modelo do seu fogão, e é imprescindível não deixar o bolo assar demais.
8. Retire imediatamente do forno e o coloque para esfriar sobre uma grade. Sirva em temperatura ambiente.

(crédito da foto a Andrea Rodriguez in o Judiaiense de receita original Moelleux au Chocolat aux Noix, adaptada de www.moelleux-au-chocolat.fr)


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Salve a temporada de mangas!

Foto: Ormuzd Alves

É manga no pé! É manga no chão! É manga na feira!É vizinho distribuindo manga pra vizinhança!...
A verdade é que a manga, fruta suculenta de sabor adocicado, é ingrediente de muitas receitas doces. Com um pouco de criatividade, ela também dá um toque especial a pratos salgados, como risotos, saladas, molhos para carne, peixe ou frutos do mar.Além de saborosa, a manga é saudável. É rica em vitaminas A, B e C, e sais minerais, como cálcio, ferro, potássio e magnésio.
Arregaçando as mangas encontrei RECEITAS DOCES E SALGADAS COM MANGA. Exemplos bem originais como:Frango com manga e castanha-de-caju, Camarão com manga, Risoto tropical,Creme de manga com salada de frutas ,Bolo de manga...
Me deu água na boca esta que encontrei no site DELÍCIAS DA CALU e posto a seguir:

Carpaccio de manga

. 2 mangas cortadas em fatias finas
. Suco de 1/2 limão
. Pimenta preta em grãos a gosto
. 2 colheres (sopa) de creme de leite light
. 5 folhas de hortelã cortadas em tiras finas

Modo de preparo
1. Banhe as fatias de manga com o suco de limão.

2. Escorra e coloque-as num prato, arrumadas como um carpaccio.

3. Misture a pimenta com o creme de leite e ponha colheradas sobre cada carpaccio.

4. Decore com a hortelã e leve à geladeira. Sirva bem gelado.


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

OK! Você venceu ...Batata frita!


Lembrando do trecho da música:"Você não soube me amar"(Blitz)

"Amor, pede
Uma porção de batata frita
OK! você venceu
Batata frita...

Ai blá blá blá blá blá blá blá blá blá
Ti ti ti ti ti ti ti ti ti"...




fui em busca de uma receita deste prato tão degustado por todas as gerações:


O segredo da Batata Frita



Descasque as batatas. 2 a 3 batatas por pessoa.
Pique-as no formato de sua preferência.
Lave-as, escorra-as, e enxugue-as com pano bem seco.
O óleo ainda não está quente? Então, deixe as batatas de molho na água com um pouco de sal para que não escureçam.
O óleo deve ser em quantidade suficiente para cobrir as batatas, que devem ficar imersas nele.
É muita batata ? A frigideira é pequena ? Então, utilize uma panela funda.
Para saber se o óleo está bem quente: quando colocar o óleo na panela ou frigideira coloque junto um palito de fósforo. Quando o fósforo acender o óleo estará na temperatura ideal.
Quando o óleo já estiver quente, lave as batatas de novo, escorra-as e enxugue-as num pano bem seco.
Coloque as batatas no óleo quente aos poucos e com cuidado; não esqueça que o óleo está muito quente.
Depois de toda a batata colocada no óleo quente arrume-as com um garfo e não mexa mais.
Tenha paciência; é um pouco demorado, é assim mesmo.
Quando elas estiverem quase totalmente douradas, você poderá mexer um pouco para que dourem por igual.
Retire com uma escumadeira. Coloque num prato ou travessa com papel-toalha até eliminar toda a gordura.
Colocar sal a gosto e servir.

Dicas:

Com pouco óleo, as batatas vão grudar na frigideira e vão queimar antes de fritar.
Se o óleo estiver frio ou apenas morno, a batata vai amolecer, soltar água e cozinhar em vez de fritar.
Só mexa na batata na fase final.
Segredinho para uma batata frita sequinha: quando o óleo estiver bem quente, retire meia xícara (de chá) do óleo quente e misture meia colher (de sopa) de amido de milho. Despeje o óleo de volta na frigideira devagar e com cuidado e, em seguida, coloque as batatas para fritar.



E depois é só:nhac nhac nhac, blá blá blá blá blá blá blá blá blá e
Ti ti ti ti ti ti ti ti ti"...

Do: http://www.receitasdemae.com.br

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Vida breve e brevidades


Walnize Carvalho

Quem haveria de imaginar, que dentro daquele pacotinho plástico a mim entregue com tanto carinho, iria encontrar algo que iria adocicar o meu dia, aguçar meu paladar e - mais do que tudo – encher meu coração e mente de tão doces lembranças?...
Quem diria que aquele bolinho (arrumado em fôrma de papel) feito de açúcar, ovos, margarina e polvilho, iria me inspirar para esta singela crônica?...
Sem querer prolongar a expectativa e dissipando a curiosidade do ouvinte esclareço que, a guloseima a que me refiro, tem o nome sugestivo de: Brevidade.
De repente, minha saudosa memória, visualiza a vovó Mocinha, arrumando a mesa do lanche da tarde com toalha bordada, xícaras e bules de porcelana (com chá e café), biscoito de araruta, pãezinhos em formato de trança e... brevidades!
E também, repentinamente, me dou conta da efemeridade do tempo!
Num gesto de rapidez, levanto-me e vou buscar na estante de livros da sala, um que bem ilustra esta minha reflexão matinal. A referida obra intitula-se: “Sobre a brevidade da vida” do filósofo romano, Sêneca.No livro, o sábio fala da natureza finita da vida humana.No correr das páginas, vão sendo apresentadas “maneiras de prolongar a vida e livrá-la de mil futilidades que a perturbam sem, no entanto, enriquecê-la”.Escritas há quase dois mil anos, estas cartas compõem “uma leitura inspiradora para todos os homens, a quem ajudam a avaliar o que é uma vida plenamente vivida”...
Reponho o livro na estante, retomo a escrita e enquanto penso em palavras breves para finalizar a crônica, a doce figura da grande poeta goiana (Cora Coralina) que “se achava mais doceira do que escritora”, vem em meu socorro. Ela deixou patenteada esta afirmativa: “Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.”...
Palavras dignas de saborear.

A mim, só resta degustar a última brevidade do pacote, que ao se desmanchar na boca deixou o gosto “ de quero mais” e a certeza de que, os prazeres da vida não duram uma eternidade.

A receita de Brevidade

Ingredientes:

6 ovos
400 g de açúcar refinado
500 g de polvilho doce
canela a gosto
1 pitada de sal


Preparo

Separe as claras e coloque na batedeira. Ligue a batedeira na velocidade mínima e vá aumentando até chegar ao máximo. Deixe bater por 10 minutos. Coloque as gemas e bata novamente. Acrescente o açúcar aos poucos, com a batedeira funcionando. Junte a canela e uma pitada de sal. Por último, o polvilho. Bata novamente até a massa ficar borbulhado.

Vire a massa em forminhas de papel colocadas dentro das formas de alumínio, com o cuidado de encher só até a metade. Também pode ser usada uma forma normal de bolo, untada e polvilhada. Leve ao forno pré-aquecido, por 10 minutos, em fogo brando.

Obs: O segredo da brevidade é bater a massa bastante para que ela fique bem fofinha


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Frango meio oriental

Ontem estava com preguiça de cozinhar, mas tinha que cozinhar. Recorri a essa receita que é meio minha, pois tem ingredientes que acrescento e tiro conforme a disposição do dia.
Postei também no meu livro de receitas Sadia. Maneira prática de guardar receitas. Já conhecem?
http://www.meulivrodereceitas.com.br/anapaulamotta




terça-feira, 15 de novembro de 2011

Receita de feriado


Feriado é aquilo ( não confundir com a KG!rs) se você não viaja é oportuno para dormir(o de hoje,dia nublado,tá uma isca!rs),ler, arrumar gavetas, estudar, ver tevê ou ficar no computador procurando uma receitinha prática para saborear. Encontrei essa. Repasso para vocês(será que alguém tá me lendo?)...

Panqueca da Amizade

Ingredientes:
1 copo de leite
1 ovo
1 copo de farinha de trigo
1 colher de sopa de óleo
1 pitada de sal

Modo de Preparo:

Bata os ingredientes no liquidificador
Pré aqueça uma frigideira de teflon com uma colherinha de óleo
Coloque a massa na frigideira com o auxílio de uma concha
Deixe assar até que a borda obtenha uma cor dourada
Reserve a massa
Prepare outra massa, recheie ao seu gosto(carne, queijo e presunto, frango desfiado, beijinho de côco, brigadeiro, etc...) e feche com a outra massa como se fosse um sanduíche.
Agora é só servir e se deliciar!

Do:http://www.tricotet.com

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Plim! Plim!X Tim! Tim!


Pratos de René Velmont, o chef da novela, para você fazer em casa

"Você prefere a panqueca com mel ou manteiga?" A pergunta matinal de René Velmont, personagem de Dalton Vigh em Fina Estampa, para o filho pode até parecer estranha aos chefs profissionais, mas deixa o telespectador com água na boca. Omeletes, bananas flambadas, batatas sauté, ceviches e outros pratos de nomes estrangeiros pintam na telinha a todo momento e parecem impossíveis de fazer. Boa notícia: não são. O iG Comida selecionou sete receitas descomplicadas que fazem sucesso na novela. Tem até o bacalhau que René preparou para Griselda e Guaracy em seu restaurante. Aqui, vale seguir a dica do português e acompanhar a refeição com um vinho verde da terrinha. Plim plim!

Uma das receitas que fazem sucesso em Fina Estampa.

Omelete printemps
(Receita do restaurante Paris 6, em São Paulo)

Ingredientes:

2 ovos inteiros

20 ml de creme de leite fresco

30 g de presunto picado

30 g de queijo ementhal ralado

20 g de tomate picado

Sal a gosto

Pimenta-do-reino preta moída a gosto

Salsinha picada a gosto

20 ml de azeite extravirgem

Modo de Preparo:
Em uma vasilha, bata todos os ingredientes. Aqueça uma frigideira antiaderente, coloque o azeite e despeje o omelete. Frite por dois minutos e começe a enrolar com o auxílio de uma espátula. Quando estiver totalmente cozido, sirva imediatamente.


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Mama mia!

Foto: ALYSONWONDERLAN

Hoje é o Dia Mundial do Macarrão.

A data é lembrada em vários países, entre eles: EUA, México, Turquia, Itália, Alemanha e Venezuela. E também aqui no Brasil.
O dia 25 de outubro foi escolhido por ser o dia da realização do 1º Congresso Mundial de Pasta, em Roma, em 1995.
O Brasil é o terceiro maior produtor de macarrão do mundo, com 1 milhão de toneladas (dados de 2001), e faturamento na ordem de R$ 2 bilhões. O consumo de macarrão no Brasil é de 5,6 kg por pessoa, a cada ano.

Receita de Molho pesto com nozes

Um molho pesto com nozes é rápido e fácil de preparar, ótimo para usar com macarrão. Fica pronto em 20 min.

Ingredientes:

3 xícaras (125 g) de folhas frescas de manjericão
1 1/2 xícara (175 g) de nozes picadas
4 dentes de alho, descascados
4 colheres (sopa) (20 g) de queijo parmesão ralado
1 xícara (240 ml) de azeite
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

1.Em um processador de alimentos, bata as folhas de manjericão, as nozes, o alho e o queijo. Aos poucos, acrescente o azeite. Tempere com sal e pimenta. Sirva a seguir ou mantenha na geladeira.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ciência na cozinha

Fujo um pouco a proposta do "Sabor e Histórias",mas trago nesta postagem uma matéria que achei interessante.Bom apetite! quer dizer,boa leitura!

Ciência na cozinha faz gelatina quente e sopa crocante

Gelatina quente, sopa de peixe em bolinhas crocantes ou gelado que solta fumo são algumas das criações culinárias que resultam da união entre cientistas e chefes de cozinha, um fenómeno crescente que dá os primeiros passos em Portugal. A gastronomia molecular é um ramo da ciência dos alimentos nascido há mais de 20 anos e que se centra nos fenômenos físicos e químicos que ocorrem quando se está a cozinhar.

Os conhecimentos produzidos por esta ciência começaram entretanto a ser utilizados por alguns chefes de cozinha, dando origem a um novo tipo de culinária "fantástica" que tem cada vez mais adeptos na Europa, explicou à Agência Lusa Margarida Guerreiro, investigadora nesta área.

"A gastronomia molecular tem a ver com a compreensão do que ocorre com os alimentos quando se cozinha" e a partir daí encontrar as respostas para questões do dia-a-dia como qual a temperatura a que a carne deve ser exposta para ficar macia e suculenta, como conseguir um soufflé bem apurado ou umas volumosas claras em castelo.

"É que no fundo cozinhar é fazer química e a cozinha é um laboratório que todos temos nas nossas casas", explicou aquela investigadora do departamento de Botânica e Engenharia Biológica do Instituto Superior de Agronomia (ISA). Ou seja, quando se aquece os alimentos (ao lume por exemplo) actua-se ao nível das moléculas, aumentando a sua velocidade e obrigando-as a colidir umas com as outras.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Suspirando...

Sabendo ou não o porquê de certas nomenclaturas engraçadas para doces como: Olho de sogra, Pé de moleque, Baba de moça e outros, o certo é que só em ouvi-las já aguçam nosso paladar.Imagine preparar e comer o sugestivo Suspiro numa tarde calma e chuvosa?
Achei esta receita e repasso:

Suspiro
Fonte: iG Comida
Receita da chef consultora Marina Hernandez

Ingredientes:

4 claras de ovo
12 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (chá) de raspas de limão
Corantes alimentícios variados (laranja, violeta, pink, verde e amarelo) quanto baste
Modo de Preparo:
Numa panela, coloque as claras com o açúcar e leve ao fogo baixo para que o açúcar derreta. Na batedeira, adicione às claras as raspas de limão e deixe bater até que o suspiro esteja bem duro e muito brilhante (isto vai levar uns 20 minutos, aproximadamente). Divida a massa em três partes e utilize os corantes desejados. Misture bem e com ajuda de um saco de confeitar faça os suspiros no papel manteiga. Leve ao forno baixo (se possível com a porta entreaberta) por aproximadamente 45 minutos. Está pronto o suspiro.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Parabéns Nathalie...

Essa nossa cozinha é repleta de aniversariantes em setembro, todas depois do dia 20.


Hoje é o dia da nossa querida Natália Augusto que sei que gosta muito de chocolate tanto quanto de poesia.


Em Portugal chegou o outono,mas como andamos de estações trocadas deixo-te um poema de primavera. E um bolo com sabor a outono.

Amar!
Florbela Espanca


                                    Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!

Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...






1/2 xícara(s) (chá) de margarina
4 ovos
1 xícara  (chá) de açúcar
1/2 xícara  (chá) de chocolate em pó
1 xícara  (chá) de farinha de trigo
1 xícara  (chá) de aveia em flocos grossos
1/2 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa rasa) de fermento químico em pó
quanto baste de noz-moscada ou canela
Misture todos os ingredientes secos em uma tigela (menos o fermento) e reserve.
Misture os ovos,o leite e a margarina.Junte as duas misturas e mexa bem até formar a massa. Por último acrescente cuidadosamente o fermento.
Coloque a massa numa assadeira untada e polvilhada e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos.
Eu servi com uma caldinha rala de chocolate, é opcional.
Ficou com uma sabor maravilhoso, crocante e pouco doce.
Só consegui a foto do bolo já cortado porque não resistimos e comemos ainda quente.



quinta-feira, 22 de setembro de 2011

parabéns Wal

um dia o aniversário de uma das cozinheiras deste espaço, outro dia e o aniversário de outra. pois no dia da Wal, mais uma receita de bolo de chocolate. descobri-a num blog amigo com estas fotos com o promissor título de bolo de chocolate pornográfico. Valha-nos o facto de as calorias não nos atingirem por imagens destas, mas como vou deixar a receita, já não me responsabilizo...








Bolo de Chocolate

Ingredientes:
300g de chocolate para culinária 70% de cacau
250g de manteiga sem sal
8 ovos
200g de açúcar
30g de farinha
uma pitada de sal
um pouco de óleo

1. Derreter a manteiga e o chocolate partido em pedaços numa caçarola grande, em banho-maria. Desligar o lume e deixar ficar o chocolate em banho-maria.

2. Separar as gemas das claras. Misturar bem as gemas de ovo com 100 g de açúcar e 30 g de farinha.

3. Começar a bater as claras em castelo com uma pitada de sal. A meio adicionar o açúcar e acabar de bater.

4. Misturar o chocolate derretido às claras batidas em castelo.

5. Untar uma forma com o óleo, deitar a massa na forma.

6. Levar ao forno pré-aquecido a 150º C durante 25 minutos.

O bolo fica húmido, intenso, mesmo a saber a chocolate. Cuidado ao desenformar, porque o bolo no meio fica tipo mousse de chocolate. Este bolo é uma verdadeira tentação! Impossível resistir!

(todos os créditos deste post são do blog amigo Cinco Quartos de Laranja a quem dou os meus parabéns pelas belíssimas fotos e postagens)


E a primavera vem chegando: Feliz Aniversário

 Para quem vive entre versos e navega na prosa desenvolta como raio de sol em manhã de primavera trago um poema de Adélia Prado, coberto de cotidiano e "feminices".
Grande beijo, Walnize..


Com licença poética

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
-- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.

Para acompanhar um bolo simples mas que traz boas lembranças de tardes em família.
A foto eu que fiz.

Bolo de Banana

Ingredientes:

3 ovos
6 bananas caturras (conhecidas também como banana nanica ou d`água, na falta dessa use uma bem doce como banana da terra ou outra da preferência)
1 xícara mais duas colheres de sopa de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de suco de laranja ( ou de leite como na receita original)
1/2 xícara de óleo
2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de fermento
sal q.b.
canela em pó q.b.
açúcar para polvilhar

Modo de fazer:

Bata os ovos com o açúcar, o óleo e a manteiga. Junte a farinha e depois o suco de laranja ou leite.Acrescente um pouco de canela. Junte o fermento e misture,sem bater.
Unte e enfarinhe um tabuleiro médio. Ponha metade da massa, corte as bananas no sentido do comprimento e cubra o bolo, polvilhe canela e açúcar.Cubra com o restante da massa. Se ainda sobrarem bananas é só cobrir o bolo com as fatias e polvilhar canela e açúcar.
Leve para assar em forno baixo por cerca de 40 minutos ou até o bolo ficar dourado.
Assim que tirar do forno polvilhe açúcar e canela.
Sirva com um bom café.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Feliz aniversário

Hoje é aniversário de uma das donas dessa cozinha e tem que ter pelo menos um "bolinho" como se dizia antigamente.
Deixo também um poema com sabor a outono que não tarda começar.
Parabéns, Aninha.



TERRACOTA

Da terra retiro
sua gama de cores:
ocre, vermelho, ferrugem,
terracota, outono,
o sol.
E pinto a alma em pinceladas
grossas, camada sobre camada,
para aguentar o peso do céu.

In Roseana Murray – Poemas para ler na escola,
Ed. Objetiva, 2011






Bolo leve de chocolate

6 ovos
100g de amendoim torrado e moído sem peles (na receita original era côco,mas nas comprar achei esse amendoim já torrado e moído e ficou mais gostoso, já experimentei também com amêndoas)
2 colheres de margarina
6 colheres de açúcar
6 colheres de chocolate
1 colher sopa de fermento em pó

Bate-se tudo no liquidificador. Leva-se ao forno a 200 graus.
Cubra com brigadeiro mole ou calda de chocolate. O meu foi feito com calda de chocolate e amendoim.
P.S. A pedido da Ana Martins explico como se faz o brigadeiro mole:
Numa panela mistura-se uma lata de leite condensado, 1 colher de manteiga, duas colheres de sopa de chocolate e 1/4 da medida da lata de leite. Leva-se a ferver por cerca de dez minutos e está pronto.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

O pão nosso de cada dia


Quem há de negar ,que muitas vezes nos alimentamos com a simples necessidade de nos alimentar?! Quanta redundância!!!Quero dizer que movidos pela pressa ou pela pressão(chato quando cozinhar é obrigação!) nos vemos desmotivados para sair do "arroz com feijão"...
Falando isso com uma amiga ela me indicou um site bem interessante e que reproduzo postagem fresquinha (de hoje):Terça-feira, Setembro 20, 2011

do:www.cozinhadeimproviso.com

Pão integral com Alecrim

Receita:
2 ramos de alecrim (+ ou - 2 colheres de sopa)
1 xícara de chá de água morna (não pode ser fervendo se não "mata" o fermento)
2 xícaras de farinha de trigo branca
1 xícara de farinha de trigo integral
10g de fermento seco para pão (um sachê)
3 colheres de azeite de oliva
óleo de canola para untar (ou azeite)
1 colher de chá (rasa) de sal
Faça uma infusão/chá com um dos ramos de alecrim e a água, levando ao fogo até ferver. Retire o alecrim e deixe esfriar um pouco a água antes de usar.
Em uma vasilha grande, misture as farinhas, o fermento e o sal. Acrescente o azeite e a água e incorpore até soltar das mãos (se preciso, use mais água ou farinha aos poucos).
Em superfície enfarinhada, sove a massa por alguns minutos até a massa ficar lisa e elástica. Faça uma bola, pincele com o óleo ou azeite e deixe descansar coberta com um pano de prato limpo por aproximadamente 1 hora (costumo deixar dentro do forno desligado)!
Após o descanso, leve a massa para uma superfície enfarinhada, abra a massa e salpique o restante do alecrim, sove a massa até que o alecrim seja distribuido uniformemente. Modele o pão em formato ovalado (ou no formato que desejar, o pão é seu), transfira a massa para um assadeira, pincele o óleo/azeite, cubra e deixe descansar por 30 minutos.
Asse em forno preaquecido a 180 graus por aproximadamente 30 minutos ou até que esteja dourado. Uma dica excelente do blog é bater no fundo do pão, se fizer barulho tipo como se estivesse batendo em uma porta, tipo som de oco, está bom!
Depois de assado, deixe o pão esfriar sobre uma grade!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A solitária

Walnize Carvalho

Saiu à rua.Queria encompridar a manhã, já que ao voltar prepararia a comida.A sua comida.
Entrou na praça.Feirinha da artesanato.
Parou...Olhou...Flagrou seu rosto no espelho da barraca de bijuterias.Espiou o relógio.Era cedo ainda.
Deteve-se numa barraca de artigos domésticos: toalhas de prato, pegadores de cabos de panelas, sacolas, “puxa sacos”, guardanapos pintados ,de crochê, bicos de bule (aqueles do tempo da vovó),luvas e protetores de braços.Protetores de braços?
A vendedora tratou de explicar a utilidade daqueles apetrechos, já que observara ser a mulher de pele clara .
A convenceu a levar os protetores de braços.
Ela não só levou aquele utensílio ,como o kit completo.
Chegou à casa.
Vestiu a armadura: avental, pegador de cabos de panelas, touca , protetores de
braços e...cozinhou um ovo.

Mas...se depois pintar companhia,uma receita cai bem:



Ovos escoceses com molho de mostarda

(Perfeito para um almoço leve com uma salada verde.)

Ingredientes:
Molho de mostarda:
1 ovo
1 xícara (225 g) de maionese
4 colheres (sopa) de mostarda
2 colheres (sopa) de açúcar

Ovos:
6 ovos
2 litros de óleo para fritar
350 g linguiça de porco, sem o invólucro de tripa e picada
1 colher (sopa) de salsa seca triturada
2 colheres (chá) de raspas de limão
1/4 de colher (chá) de noz moscada em pó
1/4 de colher (chá) de manjerona seca
Sal e pimenta a gosto
1 ovo batido
125 g de farinha de rosca seca
Modo de preparo:

1.Para fazer o molho de mostarda: Quebre 1 ovo em uma panela pequena. Com o fogo baixo, acrescente a maionese, a mostarda e o açúcar, e mexa. Essa mistura estará pronta quando começar a ferver. Retire-a do fogo e deixe-a descansar até esfriar. Depois, leve-a à geladeira por 10 minutos, no mínimo.
2.Coloque os 6 ovos inteiros em uma panela e cubra-os com água fria. Deixe levantar fervura e cozinhe-os por 10 a 12 minutos. Depois, retire-os da água quente, esfrie-os e descasque-os.
3.Aqueça o óleo em uma frigideira funda a 190ºC.
4.Coloque a linguiça em uma tigela com a salsa, as raspas de limão, a noz-moscada, a manjerona, o sal e a pimenta. Com as mãos, misture bem os ingredientes com a linguiça. Com as mãos molhadas, coloque-a ao redor dos ovos de modo a formar uma camada uniforme. Passe os ovos cobertos no ovo batido e depois na farinha de rosca seca.
5.Com cuidado, coloque 3 ovos na frigideira e frite-os por 4 a 5 minutos, até ficarem bem dourados. Vire-os enquanto estão sendo fritos para que dourem por completo e de modo uniforme. Retire-os com uma escumadeira e seque-os em papel-toalha. Repita o procedimento com os 3 ovos restantes. Sirva-os com o molho de mostarda.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Grandes e Pequenas Gafes a serem evitadas à mesa



DO:http://www.livrodereceitas.com/diversos/cozinha/gafes.htm


– cruzar os talheres, depois de terminada a refeição, em vez de colocar garfo e faca em posição paralela.

– tomar vinho ou água, sem passar o guardanapo nos lábios, deixando a marca de gordura nas bordas do copo.

– sentar-se e fincar os dois cotovelos sobre a mesa.

– balançar-se na cadeira (que acabará por quebrar-se).

– atirar os caroços de frutas diretamente da boca no prato, sem fazê-la por intermédio do mão entreaberta.

– limpar (em casa onde for convidado) os talheres e os copos no guardanapo.

– amarrar o guardanapo em torno do pescoço.

– limpar os lábios ou os dedos, na toalha da mesa, em vez de o fazer no guardanapo.

– usar a faca para levar o alimento à boca.

– sorver e fazer barulho ao tomar a sopa.

– fazer da xícara de café ou do pires cinzeiro, após o jantar.

– falar com a boca cheia, pois é feio e a maneira mais certa de atirar perdigotos.

– falar o tempo todo, sem dar aos outros oportunidade de também dizer o que pensam.

– empurrar a comida com o dedo em cima do garfo; para isso, um naco de pão é o aconselhado.

– permitir que seu copo de vinho seja cheio e deixá-la quase intato.

– gesticular com qualquer dos talheres seguros na mão.

– virar o prato de sopa para aproveitar a última gota.

– evitar o quanto possível recusar um prato qualquer; não é necessário aceitá-lo com abundância, mas uma porção pequena é recomendável.

– cutucar o vizinho ou a vizinha com o dedo para que preste atenção no que se vai dizer.

– assoprar a sopa, quando estiver quente, quando o correto é esperar que ela esfrie.

– limpar a mesa das migalhas de pão com a mão. devendo esperar que o copeiro o faça com a vassourinha especial.

– empurrar o prato para longe, depois de ter comido o que havia nele.

– ao levantar-se da mesa, deixar que o guardanapo escorregue e vá ao chão, ou fazer dele uma trouxa; dobre-o rápidamente e deixe-o em frente, sobre a toalha.

– ocupar-se, durante a refeição, unicamente com uma vizinha, lembrando-se de que elas são duas. Procure entreter a que estiver menos solicitada pelo vizinho do outro lado dela.

– se a dona de casa ou uma de suas vizinhas levantar durante a refeição, faça o mesmo, é uma atenção que se deve seguir à risca.

– usar o palito somente quando for indispensável e com toda a discreção; fazê-to rápidamente e nunca deixá-la dependurado no canto da boca.

– acenda o cigarro somente depois de servidos os pratos salgados e sempre pedindo licença às senhoras que estão a seu lado. Cuidado com a direção da fumaça.

– deixe o cachimbo – caso o leitor o fume – para sua casa ou quando houver bastante ar para que a fumaça não incomode. Cuidado com a qualidade do tabaco.

– nunca se levante da mesa, antes que a dona (ou dono da casa, na falta dela), faça o sinal de que a refeição está terminada.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A Ciência na cozinha


A neta mais velha (que mora em Niterói) está aqui (Campos dos Goytacazes) em "férias fora de época",já que a escola (IFFRJ) está em greve.Passo pela sala e a vejo com um dos livros que trouxe na bagagem.Curiosa ,o folheei e achei interessante falar dele aqui no nosso blog:"O que Einstein disse a seu cozinheiro"

Não é um livro de receitas, apesar de conter algumas. Como o título dá a entender, o livro explica, numa linguagem bem fácil e simples, inúmeros aspectos científicos da cozinha. Não é só pra quem gosta de ciência, e nem só pra quem gosta de culinária. É pra quem tem curiosidade. Abaixo, algumas perguntas que são respondidas no livro.

» Deve-se colocar batatas para corrigir uma sopa que foi salgada demais?
» O sal kosher tem menos sódio do que o comum?
» O que são as microondas?
» É mesmo posível fritar um ovo sobre o asfalto em um dia muito quente?
» Por que nada gruda em frigideiras anti-aderentes?

Pois é. Perguntas altamente intrigantes que você se pergunta todos os dias... ou muito provavelmente não, mas agora deve estar curioso pra saber. Então está dada a dica.Para amenizar a suposta curiosidade de algum leitor, vou transcrever algo:

Segundo o autor, não amadurecem: cereja, frutas cítricas (laranja, limão, lima), pepino, romã, bagas de polpa macia (amora, framboesa, morango) e melão. São chamadas de "não-climatéricas", ou seja, são aquelas que não amadurecem depois de colhidas. Em razão disso, só devem ser colhidas quando atingirem condições apropriadas para consumo ou quando o ponto de maturação for o desejado. Há outras frutas, a exemplo da uva, que também são não-climatéricas. Então, não adianta comprar ou tirar do pé quando ainda estão verde para esperar amadurecer... pois, não vão!!! No máximo vão estragar!!!
De forma contrária, temos as climatéricas, ou seja, as que amadurecem depois de colhidas. Os exemplos são vários: maça, banana, abacate, goiaba, manga, tomate, mamão, papaia...

Obs.: Se você ficou curioso quanto a eficácia das batatas no combate a salinidade excessiva de sua sopa ou em relação a qualquer uma das outras perguntas que foram apresentadas no início dessa postagem, corra à livraria mais próxima e encomende o livro e faça experiências em sua própria casa...De minha parte, vou filar o livro dá neta,saboreá-lo e torcer para que suas "férias" durem um pouco mais...


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

RESTODONTE


O nome escrito de uma só vez(Restodonte)é traduzido por sobras de comida.
Eu costumo chamar este aproveitamento de "pontas de estoque".E nelas, incluo os pratos:"Arroz metido à besta"(arroz com ervilha,cenoura,frango desfiado,passas...),"Ensopado tranformista"(de dia, ensopado;à noite,com mais caldo,sopa)e outros que conheço e não fui eu quem os nominou: "Perigoso na racha" (Fígado acebolado no meio do pão), "Roupa velha" (Charque ou sobras de carne assada frita com farinha de mandioca)...
Nosso Brasilzão esconde em sua imensidão, intermináveis pérolas gastronômicas. Pura munição à curiosidade e à diversão. Talvez se dependesse do nome, convenhamos que alguns bem mais meigos que os demais, certas iguarias ficariam restritas apenas ao olhado.
Se eu ,por exemplo, disser que sou louca por "Cueca virada" (Massa frita, com sabor semelhante ao bolinho de chuva), que sou fã de "Baba-de-moça"(doce feito com gemas, leite de côco e calda de açúcar), que sou amiga de uma "nega maluca"(uma variante de bolo de chocolate)algumas pessoas iriam ficar boiando, não é não? E mandar ver numa vaca atolada(cozido feito à base de mandioca e costela de vaca).
Numm dia chuvoso, então? Não é tudo de bom?

Mas o melhor de tudo mesmo é se deliciar com as riquezas das culinárias regionais e abrir a mente para se permitir conhecer e aceitar o diferente.

Agora ,a receita da vez do Restodonte:

Ingredientes:
Sobras de comida (arroz, macarrão, carne (se cozida desfie-a, se frita corte em tirinhas), batata cozida ou assada, Etc (tudo que possa ir ao forno), menos feijão
Meia lata de molho de tomate
04 ovos
01 copo de leite
03 colheres de farinha de trigo com fermento
200 Gramas de mussarela
Orégano e sal a gosto

Modo de preparo:
Em uma panela junte todos os ingredientes, acrescente a meia lata de molho de tomate e faça um mexidão (não leve ao fogo)
Faça um creme no liquidificador com os ovos, o copo de leite, as colheres de farinha de trigo com fermento, a mussarela em cubinhos, orégano e sal a gosto.
Em um refratário untado com manteiga, acomode o mexidão com uma colher e jogue o creme por cima e leve ao forno (cento e oitenta graus) até ficar bem dourado por cima.

sábado, 6 de agosto de 2011

Pizza de rúcula

Essa receita nasceu numa noite em que cozinhei apenas para mim, rendeu um conto e essa delícia crocante.

Pizza de rúcula

Massa
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água morna
1 saqueta de fermento de pão
1 colher de café de açúcar
sal q.b.
1/2 xícara de óleo
Misture os ingredientes secos, depois água e óleo.
Deixe descansar meia hora.Abra a massa bem fininha e ponha nas formas ou tabuleiros.
Asse por 10 minutos em forno bem quente.


Cobertura
Meio maço de rúcula
tomates em rodelas
queijo parmesão ralado
queijo mozzarella  ralado
azeite
Regue com azeite a massa já assada, depois a mozzarella, a rúcula, o tomate e por fim o parmesão.
Leve ao fono para derreter o queijo e sirva com azeite.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

No tempo da vovó


Acabo de sair de uma alergia medicamentosa...pasmem! Remédio contra verminoses( que eu nem pensava ser necessário adulto usar, já que "as bichinhas" não davam sinal de vida!)...
E me lembrei da saudosa vovó Mocinha e seus chazinhos miraculosos:chá de hortelã,de camomila, de erva cidreira( este descansava toda noite em sua mesinha de cabeceira) e para o caso específico, a receitinha:

O ALHO CONTRA VERMES

DEIXE 2 DENTES DE ALHO BEM SOCADO DE MOLHO
EM UM COPO DE LEITE POR 24 HORAS TOME NO DIA
SEGUINTE.
...quando ela não atacava do temível Óleo de Rícino!

Perdoem o papo indigesto!
Mas hoje,recuperada e lembrando tudo isso, trago algumas receitas de chá que sempre são bem vindos, não acham?

Chá de hortelã e casca de maçã

Ingredientes:
1 gema (sem a pele)
2 colheres (sopa) rasa de açúcar
1 xícara (chá) de leite fervente
1 cálice de vinho do porto
Modo de preparo:
Coloque a gema numa tigelinha de louça, junte o açúcar e bata vigorosamente com uma colher de pau pequena até incorporar todo o açúcar e a gemada crescer.
Adicione o leite fervendo, continue batendo. Junte um cálice de vinho do porto. Servir bem quente. Pode pulverizar canela em pó.

Chá de abacaxi, gengibre, cravo e canela

Ingredientes:

700 ml de água
5 dentes de cravo
1 pauzinho de canela
3 galhinhos de menta ou folhas de hortelã
1 pedaço de gengibre fresco
Casca de 1 abacaxi maduro
Modo de preparo:
Colocar todos os ingredientes numa vasilha e levar ao forno de microondas por cinco minutos ou ao fogo até ferver.
Colocar dentro do bule galhos de menta ou hortelã, coar a mistura e servir.

E para terminar...

Chá de rosas

Ingredientes:
4 xícaras (chá) de água
1/2 colher (chá) de água de rosas
pétalas de 6 rosas
açúcar ou adoçante a gosto
Modo de preparo
Coloque a água numa chaleira e leve ao fogo alto
Quando ferver, adicione as pétalas e deixe por 5 minutos
Retire do fogo e junte a água de rosas
Adoce a gosto e sirva imediatamente.

Saúde a todos!(e a mim também!)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Três anos do meu cantinho mais querido

Meu primeiro blog ontem fez três anos com mais de 190 mil acessos. Infelizmente o blog anda meio abandonado porque não tenho muito tempo livre e estou pouco inspirada.

Abaixo o primeiro texto.
Noites de insônia são boas para...

Houve um tempo em que a insônia me desesperava. Hoje cheguei a conclusão de que noites não tão bem dormidas podem ser aproveitadas de muitas formas. Uma muito últil (pelo menos para mim) é sonhar acordada, coisa que tão pouco nos permitimos nessa vida tão agitada que a maioria de nós leva. Sonhar acordada ao contrário do que pensam os pessistas, os "sérios" e os chatos em geral, é uma maneira mais colorida de fazer planos. E para quem gosta de viver fazer planos é como um sopro de oxigênio. Pois é no primeiro momento da minha, digamos "insônia produtiva", os sonhos de olhos abertos me tomam de assalto, assim naturalmente. Desse mundo onírico muita coisa boa acaba saindo, até ver as coisas as de uma maneira mais saudável, os caminhos parecem mais abertos.
    Outra forma muito interessante de aproveitar a falta de sono é pensar textos. Isso mesmo pensar em meus texto, que muitas vezes não são escritos por falta de tempo para simplesmente "parar" no meio do dia. À noite eles se impõem, meio que me dizendo "Você não nos dá atenção e agora vai ter que nos ouvir". As idéias vão se encadeando de uma maneira meio mágica, alguns diriam que é inspiração, eu acho que é simplesmente voltar a exercitar uma capacidade que sempre foi cotidiana e que com o tempo e a mudança de hábitos deixou de ser. Escrever é exercício. Quando a idéia é muito boa, e olha que para ser considerada assim ela tem que se esforçar e me provar, acabo saindo da cama e escrevendo do velho modo: caneta e papel. Muitos rabiscos depois volto para a cama e volto a dormir, quase sempre. é como se o cérebro estivesse numa fase de tanta atividade que acabasse por me impor os textos. Não posso reclamar.
   Alguém deve se perguntar: "Como ela sobrevive sem dormir" . Vale esclarecer que sempre me deitei tarde e agora de uns meses até hoje venho deitando muiiiito cedo, por volta de 10, 10 e meia da noite e isso me faz acordar lá pelas 2 ou 3 h. Ou seja quando o sono é interrompido já dormi 4 ou 5 horas de sono. Lá pelas 6h me levanto arrumo o café da manhã e o lanche do meu filho e o mando para a escola. Aí, volto para cama e, não raro, volto a dormir até 8 ou 8 e meia. No fim das contas quase sempre durmo mais de 6 horas, o que para mim tem sido mais que suficiente. Afinal quando passamos dos 40 anos, dizem, nosso corpo precisa de menos horas de sono para se reestabelecer.
   Acho que até lidar bem com a falta de sono tem sido uma maneira mais madura de ver a vida. Por hoje, é só...

  
escrito por João Ana Paula Motta 31-07-2008 16:49
4 comentários




sexta-feira, 29 de julho de 2011

Crendice ou não?...


Muitos acreditam na simpatia do nhoque da fortuna, que, a cada mês, tem mais simpatizantes, seja pela esperança ou pela oportunidade de partilhar com amigos este momento de ilusão.
"Conta a história que São Pantaleão, num dia 29 de dezembro, vestido de andarilho, perambulava por um vilarejo, em algum lugar da Itália. Com fome, bateu à porta de uma casa e pediu comida. Foi recebido por um casal que, mesmo com certa desconfiança, o convidou para sentar-se à mesa com eles. Como eram pobres e os tempos eram difíceis, não tinham muito o que comer. O único alimento eram nhoques, que dividiram com o Santo: sete nhoques para cada um. São Pantaleão comeu, agradeceu a acolhida e se foi. Para a grande surpresa, ao retirar a mesa, o casal encontrou em baixo dos pratos moedas de ouro."
A simpatia é simples: coloca-se uma nota de qualquer valor sob o prato com nhoque. Pode ser dólar, real ou qualquer moeda estrangeira. Em seguida fique de pé e concentre-se para iniciar o ritual. No prato, separe sete nhoques e coma um a um. Para cada nhoque, faça um pedido diferente. Depois, sente-se e saboreie o restante do prato, de preferência com um bom vinho italiano. O dinheiro colocado sob o prato deve ficar guardado até o próximo dia 29, para garantir a fartura. Outros dizem que deve ser dado a alguém que necessite ou usado quando for feita nova simpatia.

Uma receita que me chegou às mãos:

Nhoque de berinjela com queijo


Ingredientes:

4 berinjelas médias partidas ao meio
1/2 xícara (chá) de ervas frescas picadas (salsinha, cebolinha verde, orégano)
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 xícara (chá) de farinha de trigo (se preferir, use a integral)
100 g de queijo parmesão (ou ricota) cortado em lascas
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de Preparo:
Ligue o forno à temperatura média. Disponha as berinjelas com a polpa voltada para cima numa assadeira e leve ao forno por 50 minutos, ou até ficarem macias. Retire do forno e bata as berinjelas no processador. Transfira para um pano e esprema bem. Coloque a berinjela numa tigela e misture as ervas, a metade do azeite, o sal e a pimenta. Aos poucos, junte a farinha e mexa até obter uma massa macia. Transfira para um saco de confeitar com bico de 1 cm de diâmetro. Aperte a massa e corte a cada 3 cm sobre uma panela com água fervente e salgada. Assim que os nhoques subirem à superfície, retire-os com uma escumadeira e distribua nos pratos. Coloque o queijo parmesão por cima e regue com o azeite de oliva restante. Se preferir, decore com tomate seco.

Buon appetito!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...