quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo!!!


Como forma de prestar homenagem e de desejar, a todos os Amigos que visitam este blog, um Excelente Ano de 2010, gostariamos de deixar um texto sublime de Mário Quintana, chamado "Esperança" (Texto extraído do livro "Nova Antologia Poética", Editora Globo, São Paulo, 1998, pág. 118)...

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
- ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
- Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
- O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Caros Amigos...
De repente, num instante fugaz, os fogos de artifício anunciam que o Ano Novo chega enfim e que o Ano Velho fica para trás...
Renovemos os nossos votos de Esperança!
Que o Ano de 2010 vos ofereça o que há de melhor na Vida!!!

EGGNOG


EGGNOG

Um cocktail tipicamente americano com sabor a Brasil e a Portugal...hummmm!

Ingredientes:
Seis ovos grandes
1/4 xícara de açúcar granulado
1/4 colher chá de sal
4 xícaras de leite desnatado
1 colher chá de essência de baunilha
Guarnição Opcional: Raspas de chocolate, Canela em pau, Gomos de laranja, Chantilly e noz moscada em pó

Modo de Preparação:
Bater os seis ovos com o açúcar e o sal. Colocar numa panela grande. Adicionar duas xícaras de leite. Cozinhar em fogo baixo, mexendo sempre até engrossar. Retirar do fogo e acrescentar as outras duas xícaras de leite e a baunilha.
Cobrir e refrigerar até ficar gelado por várias horas ou de um dia para o outro.
Somente antes de servir colocar numa jarra e servir, podendo empregar a guarnição desejada.

Reveillón


Definitivamente essa não é uma festa que me empolgue nem um pouco. Adoro o Natal, as tradições, o clima, a expectativa,a preparação da ceia, a decoração, armar o presépio.
Para não passar em brancas nuvens deixo o link da ementa especial de fim de ano do Gastronomias .com (http://www.gastronomias.com/fim-de-ano/ano-novo.html) e mais tarde a Maria vai deixar uma receita de drink especial para a data.
Feliz Ano Novo!!!

sábado, 26 de dezembro de 2009

Pudim de bolo rei ou de panetone



Dando continuidade às receitas de sobras da ceia ou almoço de Natal, um pudim de pão usando sobras de bolo rei ou panetone.
A receita é o do pudim de pão da Maria Lessa, já publicada aqui, apenas substituindo o pão por bolo rei ou panetone.
Ingredientes:
4 ovos
200 gr de açúcar fino
1/2 Litro de leite
5 fatias de bolo rei ou panetone
1 colher de sopa de laranja em sumo

Modo de preparação:
Põe-se o pão a demolhar no leite aquecido.
Tritura-se com a varinha mágica, para que fique desfeito.
Juntam-se os ovos inteiros, batidos à parte.
De seguida, adicione o açúcar e o sumo de laranja.
Mexa tudo.
Vai a cozer em banho-maria, no forno, em forma caramelizada.

Desenformar depois de frio.

Torta Roupa Velha


Lembro que o peru de Natal sempre virava roupa velha na casa da minha avó paterna. Aqui em casa sempre exageramos na quantidade de comida na ceia e sobra muita coisa.
Hoje ainda havia sobras e resolvi "criar" essa torta roupa velha com uma massa que sobrou da quiche de queijo.
Ingredientes:
sobras de peru ou bacalhau
1 e 1/2 xícara de leite
50 g de queijo ralado
2 ovos
damascos e/ ou ameixas em pedaços (opcional)
Massa pronta (pode usar a folhada ou a de quebrar)
Espalhe a massa num pirex ou forma de aro removível, deixando bem fina.
Prepare o recheio desfiando o peru ou sobras de bacalhau, o dois ovos, o queijo e o leite. Misture bem e espalhe sobre a massa.
Leve ao forno baixo até o recheio e dourar levemente.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Bacalhau Espiritual


Bacalhau Espiritual


Ingredientes:

* 700 g de bacalhau demolhado
* 1 litro de molho Béchamel
* 400 grs. de cenouras
* 2 cebolas grandes
* 1 colher de sopa de manteiga
* 1,5 dl de azeite
* 8 gemas de ovos
* miolo de 2 pães
* sal q.b.
* pimenta moída na altura q.b.
* queijo ralado ou pão ralado q.b.
* manteiga q.b.

Preparação:

Coza o bacalhau, limpe-o de peles e espinhas, faça-o em lascas e reserve.
Rale as cenouras depois de descascadas.
Pique as cebolas finamente.
Leve ao lume numa caçarola estes dois legumes com o azeite e a manteiga.
Quando a cebola ficar translúcida, junte o bacalhau e mexa bem.
Embeba o miolo do pão num pouco de leite, escorra e junte ao bacalhau.
Tempere o Béchamel Parmalat com sal e pimenta, junte as gemas de ovos, misture bem e leve ao lume a aquecer bem, mas, sem deixar ferver.
Misture metade do molho ao bacalhau, ponha este preparado num pirex.
Cubra com o restante molho, polvilhe com queijo ou pão ralado e por cima distribua nozinhas de manteiga.
Leve ao forno a (200º C) durante cerca de 20 minutos.

Tronco de Natal

O tronco é uma tradição que aos poucos vem desaparecendo das mesas de festa aqui na minha terra. Antes era mais comum nas mesas de aniversário, Natal e outras festas em família.
Deixo aqui uma receita bem fácil de fazer. A massa é tradicional, mas a cobertura simplifiquei com um ganache. Nos aniversários dos meus avós era comum enfeitar também com fios de ovos.

Tronco de Natal

Ingredientes:

*

10 ovos
*

5 gemas
*

300 g de açúcar
*

250 g de farinha
*

sal q.b.

Confecção :

Bater os ovos e gemas com o açúcar até triplicarem de volume, juntar a farinha, mexer só o necessário para envolver a farinha.
Cozer em tabuleiro untado e forrado com papel vegetal à temperatura de +-220º.

Cobertura e recheio:

300 g de creme de leite (nata)
300 g de chocolate meio amargo

Raspe o chocolate com uma faca e leve a uma tigela em banho-maria com o creme de leite, mexa de vez em quando para misturar. Quando estiver uma mistura homogênea deve ser utilizado.

Desenforme o bolo .Enrole a torta recheada com metade do creme de chocolate, corte as pontas da torta e coloque-as de lado na torta de maneira que fique com aspecto de tronco de árvore cortado, barre na totalidade o tronco com o creme de chocolate e cubra-o com raspas de chocolate e polvilhe com açúcar em pó.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Bolinhos de Bolina



BOLINHOS DE BOLINA

Ingredientes:
1 bolina média, descascada, sem pevides e sem filamentos, cortada em pedaços (abóbora de polpa cor de laranja e doce)
Açúcar
Farinha
1 cálice de vinho do Porto
3 ovos grandes ou 4 pequenos, batidos
Canela em pó e acçucar para polvilhar
Óleo para fritar

Modo de preparação:

Leva-se a bolina a cozer em água com uma pitada de sal. Depois de cozida escorre-se e põe-se dentro de um pano. Põe-se depois a escorrer de um dia para o outro dentro de uma taça com furos ou como a minha avó fazia, pendurado na torneira da cozinha.
No dia seguinte espreme-se o pano com a bolina, de forma a tirar o excesso de água que possa ainda ter, mas não esprema demais. Ponha a polpa da bolina numa taça e junte os ovos, açúcar a gosto (prove a massa para ver se está doce), o vinho do Porto e um pouco de farinha, mais ou menos 50 gr., misture tudo muito bem.
Leve uma sertã ao lume com bastante óleo e deixe aquecer muito bem.
Frite uma colherada de massa, se o bolinho mantiver a forma, então a massa está boa e pode fritar todos. Se o bolinho se desfizer junte mais um pouco de farinha.
Ponha os bolinhos numa travessa com bastante papel absorvente.
Depois mude-os para o prato de servir e polvilhe com açúcar e canela em pó.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Peru recheado com castanhas em duas versões

Trazemos duas versões do tradicional peru recheado. A primeira mais tradicional e a segunda mais leve.

Peru recheado com castanhas e ameixas*

De véspera tempere o peru a gosto (limão,alho,sal,cebola picada) e junte um copo de vinho tinto. Deixe marinar na geladeira coberto com um plástico )uma boa dica é deixar dentro de um saco plástico pois assim absorve melhor os temperos.
Pique os miúdos do peru e refogue em manteiga, alho, cebola e sal. Assim que estiverem macios e dourados junte 200g de ameixas secas sem caroço e 250 g de castanhas cozidas partidas em pedaços não muito pequenos. Junte um pão baguete (cacete) previamente amolecido com um pouco de água quente e bem espremido.
Assim que estiver o recheio bem ligado, prove os temperos e o sal.Reserve.
Recheie o peru com a mistura e costure com linha de culinária.
Leve o peru para assar num tabuleiro e besunte com manteiga ou azeite e regue com o molho da marinada. Cubra com papel alumínio e sempre vá regando com o molho da assadeira.
Depois de cozido,retire o papel alumínio e deixei dourar.

Peru recheado com castanhas (versão mais leve)**

Ingredientes (para 10 pessoas)
1 Peru com cerca de 3 kg
4 Limões
2 Laranjas
100ml de Vinho Branco
1 Colher de chá de colorau
4 Colheres de sopa de azeite
5g de Sal
Pimenta q.b
1kg de Arroz
Peru
Recheado
Recheio
500g de Castanhas
2 Cebolas
3 Cenouras
250g de Couve penca
50g de Azeitonas
50g de Miolo de pão alentejano
10 g de Salsa picada
1 Limão
1 Colher de sopa de azeite
Preparação
De véspera, colocar o peru de molho em água fria com sal
moderado, a laranja e os limões com a casca, cortados às
rodelas. No dia seguinte, cozer as castanhas e triturá-las. Saltear os
legumes com um fio de azeite e juntar às castanhas trituradas. Juntar um
pouco de vinho branco e misturar bem. Juntar o miolo de pão amolecido
em água quente, as azeitonas aos bocadinhos, a salsa e a cebola picadas.
Temperar com sal, pimenta e a raspa da casca do limão. Encher a cavidade
do peru, com este sem peles, e coser a abertura com linha de culinária.
Cobrir uma assadeira grande com uma cebola às rodelas e adicionar o
azeite. Colocar o peru na assadeira, regar com vinho branco e sumo de
limão.
Levar a forno médio. Durante a cozedura, regar com o molho que se forma
na assadeira. Se necessário, acrescentar sumo de limão. Deixar assar até
ficar louro.

*Receita 1:Criação minha
** Receita 2:Fonte
Receitas para uma Ceia de Natal mais saudável,Associação Portuguesa dos Nutricionistas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pudim Francês…bien sure!



Pudim Francês

Ingredientes:
10 gemas de ovos
2 ovos inteiros
12colheres de sopa de açúcar
0.5l de leite
2colheres de sopa de maizena
Sumo de limão a gosto (ou sumo de uma laranja)
1 cálice de vinho do porto
caramelo q.b

Modo de preparação:
Misturar bem as gemas e os ovos inteiros com o açúcar.
Depois, adicionar o sumo de limão (ou laranja. Junta-se então o leite aos poucos, coma maizena previamente dissolvida.
Por fim… o Vinho do Porto.
Leva-se a cozer em banho-maria numa forma previamente untada com caramelo.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Peru ao molho de amoras: um jantar de Natal a dois


Os cardápios de Natal em geral são feitos para grandes ceias, grandes reuniões de família.
No entanto o padrão de família vem mudando e há muitos casais sem filhos que moram longe de outros parentes e que ficam sem sugestões de pratos típicos das festas em versão reduzida.
Hoje trouxe uma receita do tradicional peru, porém usando só o peito e para acompanhar um delicioso molho de amoras,afinal a cor predominante do Natal é o vermelho em suas diversas nuances.

Peito de Peru com Molho de Amoras


½ peito de peru, sem pele e sem osso (1,2 Kilos)
1 colher (sopa) de sal 1 (sopa) de orégano
4 dentes de alho amassados
½ colher (chá) de sementes de erva-doce

Molho:
2 xícaras de amora congelada (220 gramas)
2 collheres (sopa) de açúcar (70 gramas)
3 colheres (sopa) de vinagre balsâmico
½ colher(sopa) de amido de milho
½ colher (chá) de sal


Numa panela grande, ferva 2 litros de água em fogo alto. Numa tigela pequena, juntar o sal, o orégano, o alho e a erva-doce. Temperar o peru com essa mistura. Embrulhe-o várias vezes em papel-alumínio para vedar bem. Colocar na água e esperar voltar a ferver. Abaixe o fogo, tampar e cozinhar por uma hora. Deixar esfriar. Desembrulhe o peito de peru, cortar em fatias finas e colocar numa travessa. Reservar. Preparar o molho: Numa panela média, misturar todos os ingredientes (reservar ¼ de xícara das amoras). Cozinhar em fogo médio, mexer sempre, até ficar ligeiramente espesso (cerca de 8 minutos). Juntar as amoras reservadas e misturar. Deixar esfriar. Espalhar o molho sobre as fatias de peru.

Bon apetit. Para acompanhar um espumante e de sobremesa umas deciliosas tigelinhas de nozes.
Amor,amoras,sabor e histórias...

Coscorões


Sou dessas que acha que no Natal temos que esquecer a dieta, a balança,ceder de vez ao irresistível encanto da mesa da ceia e do almoço natalinos.
Para quem pensa como eu aí está uma receita à moda antiga,na light ou diet.

Coscorões

Ingredientes:

* 1000 g de farinha
* 125 g de margarina
* 1 dl de aguardente
* 10 g de fermento de padeiro
* sumo de 1 laranja
* sal q.b.
* 2 ovos

Confecção:

Amassar 200 g de farinha e o fermento com 1 dl de água tépida com o sal dissolvido, esta massa deve ficar rija.
Deixar levedar uma hora.
Amassar a restante farinha com os ovos, e o sumo da laranja, margarina e a aguardente, quando estiver tudo bem envolvido juntar a massa feita anteriormente (fermento) e amassar muito bem até obter uma massa homogénea.
Deixar levedar +- meia hora.
Com o rolo esticar a massa até ficar fina e com a arretilha cortar rectângulos com +- 8cm de largura por 10 de comprimento dando uns cortes no meio dos rectângulos.
Fritar em óleo bem quente, passar por açúcar e canela ainda quentes.



quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Leite Creme...simples, delicioso e famoso no Natal!




Ingredientes:

0,5 lt de leite
250 gr. de açúcar
2 colheres de chá, de farinha maizena
1 casca de limão
4 gemas de ovos

Modo de preparação:

Põe-se o leite ao lume com a casca de limão e antes de ferver junta-se a farinha com o açúcar mexendo sempre. Juntam-se as gemas batidas fora do lume para não talharem e vai novamente ao lume até ferver e engrossar. Convém mexer continuamente.
Deita-se numa travessa, deixa-se arrefecer um pouco e polvilha-se com açúcar, depois com uma pá em brasa queima-se. Como opção, pode em vez de torrado...servir polvilhado de canela.

Hummmmmmmmmmmmmmmm! Tão bom!

Um doce dedicado especialmente aos pais da Ana Paula Motta...Feliz Natal!

Creme de chocolate e amêndoas


Natal combina com frutas secas como as amêndoas e esse creme de chocolate e uma pitada de café tem um sabor especial.
Essa delícia é dedicadas às amigas Natália e Maria Margarida.

Creme de chocolate e amêndoas

1 lata de leite condensado
2 latas de leite (usar a de leite condensado como medida)
4 colheres (de sopa)de chocolate em pó
2 colheres (de sopa) de maizena
1 lata de creme de leite
1 colher (de chá) de café solúvel
casquinha de laranja ou 1 pau de canela
200 g de amêndoas em lâminas

Leve uma panela ao fogo com todos os ingredientes (menos o creme de leite e as amêndoas). Quando a mistura engrossar , espere esfriar uns dois minutos e junte o creme de leite. Coloque em taças individuais ou em uma grande.Cubras com as lâminas de amêndoas, enfeite com frutas vermelhas se gostar.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Tigelinhas de nozes: por um Natal mais doce


Tigelinhas (ou quindins) de nozes

1 ovo inteiro

12 gemas

100 gramas de manteiga

2 xícaras (de café)de açúcar

1 colher (de sobremesa mal cheia) de trigo

300 gramas de amêndoas ou nozes grosseiramente picadas

Misture tudo,exceto as nozes.Bata no liquidificador por no mínimo 10 minutos. Junte as nozes ou amêndoas sem bater,apenas misture delicadamente.

Ponha numa forma grande untada com manteiga e polvilhada com açúcar ou em forminhas. Leve ao forno médio em banho-maria por cerca de 1 hora. Deixe arrefecer no forno.

Desenforme ainda morno.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Natal, a doçura dos momentos compartilhados...


Lendo o texto sobre o Natal da nossa amiga Natália Augusto, fiquei emocionada,saudosa da infância e com um nó na garganta. E fiquei feliz. Feliz porque os Natais da minha infância me fizeram ter uma visão doce da vida,apesar de tantas dificuldades que a vida adulta sempre nos reserva.
E pensando em doçura já vamos anunciando as receitas das delícias natalinas que postaremos por aqui, a montagem (linda por sinal) das imagens é da Maria Margarida Lessa que tem um dom especial de tornar ainda mais belas essas delícias.

Noel...Noel...
Natália Augusto

Há imagens eternas que nos acompanham ao longo de todo o nosso percurso.

São, por vezes, imagens amarelecidas pelo tempo ou com os contornos pouco claros, como se o tempo no-las tivesse envolto numa neblina de anos.

Ainda assim, sempre que a mesma festividade se repete, ano após ano, recuperamo-la do baú das emoções e, na distância dos anos, tudo parece mais encantador e mágico. Não só porque foi diferente, mas também porque, no fundo, tudo muda.

Tenho o prazer de recuar mais uma vez à infância, em França, onde vivi cada Natal com o fascínio com que todas as crianças o vivem.

O meu pai costumava colocar o pinheiro com as bolas, as fitas brilhantes e as luzinhas intermitentes e coloridas no meu quarto. Sob a árvore, que gostava de adquirir, dispúnhamos as figuras do presépio, que a cada ano ia crescendo. Adquiríamos mais figuras para melhor o representarmos.

Colocávamos o pinheiro enfeitado perto de uma janela, bem juntinha à chaminé (havia uma em cada quarto), para que o Menino Jesus depusesse os presentes durante a noite. Eu bem que tentava não adormecer, mas era escusado. E na manhã do dia seguinte, lá estavam os presentes bem embrulhadinhos.

As iguarias que a minha mãe confeccionava para o Natal eram as mesmas que faziam o Natal português, acrescido com outras guloseimas francesas.

Já na altura, alguns dos meus coleguinhas de escola falavam do Pai Natal, das prendas caras, das lautas ceias. Para mim, nada disso tinha importância. O meu Natal era diferente do deles e se o passássemos na aldeia dos meus avós, em Portugal, mais diferente se tornava.

Do que eu gostava mesmo naquele país mais evoluído e com uma economia emergente, era os pinheiros de Natal (reais e em chocolate) iluminados perto das janelas dos habitantes, as decorações natalícias nas ruas, a neve e o frio, e o calor aconchegante uma vez em casa.

Gostava ainda de mirar as vitrines cheias de chocolates, bolos e outros doces, entrar numa dessas pastelarias ou "chocolateries", pela mão do meu pai, e levar imenso tempo a escolher o meu preferido e levar outros para casa. Apesar da espera, o meu pai nunca se zangou comigo.

A minha mãe era mais de ficar em casa, porventura por causa das tarefas domésticas! O meu pai, eu e depois o meu irmão saíamos para fazer compras ou assistir a um ou outro espectáculo de Natal.

Na minha família nunca deixou de se festejar o Natal. Uns foram mais mágicos do que outros.

Em 1992, ano em que faleceu o meu pai, não deixámos de o fazer, embora a sua ausência fosse muito sentida. Mas esta era também uma forma de o manter vivo e connosco, que sempre gostou do Natal.

Não sei se cheguei a ouvi-lo dizer que gostava do Natal, porém era graças a ele que tínhamos, todos os anos, o pinheiro enfeitado, perto da janela, para anunciar o nascimento do Menino Jesus.


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Morango e chocolate


Ao longo das minhas experiências culinárias vou descobrindo a cada dia que menos é mais.
Minha mãe touxe uma caixa de morangos, fora de época, e resolvi fazer uma sobremesa gostosa e simples, não muito calórica.
Pensei em várias alternativas e saiu a que segue, não é torta,tarte,charlotte,bavaroise,pavê. É um pouquinho de cada uma dessas ou seja uma invencionice que agradou aqui em casa.
Vou chamar de sobremesa quase light de morangos.


Sobremesa quase light de morangos

1 pacote de gelatina diet sabor morango
300 g de creme de leite (natas) bem espesso
300g de morangos
1 pacote de biscoitos de maizena (usei o light que tem menos gordura e é mais crocante) moído no liquidificador
2 colheres de sopa de chocolate em pó (usei o Nestlé com 50% de cacau)
2 colheres de sopa de vinho do Porto

Forrei um pirex com o biscoito moído (inclusive as laterais). Dissolvi a gelatina em 250 ml de água quente e bati no liquidificador com quase todo o creme de leite (reservei umas 3 colheres de sopa para a calda de chocolate).Enchi o pirex com a mistura de gelatina e creme de leite. Levei a gelar até estar firme.
Cortei os morangos ao meio no sentido do comprimento e arrumei sobre o creme.Fiz uma mistura do chocolate com o resto do creme e o vinho do porto.Deitei a calda levemente sobre os morangos e deixei gelar mais.

domingo, 29 de novembro de 2009

Sonhos de Natal...de abóbora




A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio dos nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham na nossa caminhada pela vida. Que essa caminhada seja doce como esta receita que a Ana Paula nos enviou..

Ingredientes:
• 1 kg de abóbora-menina
• 1,25 kg de farinha de trigo
• 50 gr de fermento de padeiro
• 1 cálice de aguardente
• Azeite (q.b.) para fritar
• Canela (q.b.)
• Açúcar (q.b.)

Preparação:
Descasque a abóbora, retire-lhe as sementes e corte-a em cubos regulares. Coloque a abóbora a cozer. Quando esta estiver cozida, retire-a da água, escorra-a muito bem e deixe-a arrefecer ligeiramente. Misture-a com a farinha num alguidar e amasse tudo muito bem em conjunto. Dilua o fermento num pouco de água da cozedura da abóbora. Junte o fermento diluído e a aguardente à massa, trabalhando-a muito bem. Depois de bem amassada, deixe levedar dentro do alguidar, tapada com um cobertor de lã em local morno e sem correntes de ar. Quando a massa estiver bem lêveda, coloque ao lume uma frigideira com azeite, o qual deve ficar bem quente, e comece a fritar, deitando a massa com a ajuda de duas colheres. Depois de fritas, passe as filhós por uma mistura de canela e açúcar.

Hummmmmm! Que doce sonho de Natal...

sábado, 21 de novembro de 2009

Gelado de manga


Aqui em casa está aberta a temporada das mangas. As daqui do nosso quintal são lindas, com as cores variando entre o rosa e o verde,passando por um amarelo gema. De polpa macia, muito doces e perfumadas.
Como colhemos muitas, resolvi fazer o que os especialistas chamam "sorbet" já que não leva leite ou creme e não poderia ser classificado como "sorvete" ,mas acho esse nome um tanto "fresco" demais. Ficou mesmo gelado de manga.
A receita é criação minha e é de uma simplicidade...

Receita

Cerca de 600 gramas de polpa de manga cortada em pedaços não muito grandes
2 xícaras de açúcar
1 e 1/2 xícaras de água

Prepare uma calda com a água e o açúcar,nem muito espessa,nem muito rala. Reserve por uns 10 minutos. Bata as mangas no liquidificador com a calda ate ficar cremosa.
Passe por uma peneira.
Leve ao congelador ou freezer numa vasilha de alumínio ou aço inox.
Depois de pronto não é necessário bater e levar a gelar de novo,porque a calda evita a formação de cristais de gelo.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Comidinha bem leve


Hoje tinha que preparar uma comida leve, de doente mesmo, mas pensei em como fazer isso sem perder o sabor e o prato ficar com uma aparência apetitosa.
Descobri um peito de frango sem osso, já levemente temperado no freezer e cortei em fatias finas, tirinhas.
Do jantar de ontem havia uma carne magra e muito saborosa feita assada na panela.Coloquei água e deixei ferver e apurar um caldo bem saboroso.Coei e reservei.
Cortei uma cenoura ao meio no sentido do compimento e depois em fatias finas na diagonal.
Cortei meio pimentão vermelho em tiras finas na diagonal.
Levei o frango ao fogo bem alto para dourar e quando estava pegando no fundo da panela pingava um pouco do caldo da carne.depois de dourado,reservei.
Na mesma panela salteei as cenouras, mas sem que amolecessem muito e também reservei.
Cozi macarrão fidelinho (ou espaguetinho).
na panela juntei o frango o restante do caldo de carne, as cenouras, o pimentão e o macarrão.deixei que ficassem bem envolvido no molho de frango e vegetais.
Consegui uma boa refeição sem sair da dieta,forçada diga-se de passagem.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Hoje...uma singela homenagem ao "Lusitânia Online" do escritor Luís Bento...


Os textos do "Lusitânia Online" remetem-nos a um passado que deixou marcas no coração. O Luís Bento é capaz de desenhar palavras que trazem sabores de infância, hora com espírito crítico, em outras com doçura de menino. Muitas vezes, as cores, os aromas brotam magicamente enquanto navegamos pelas linhas do livro. É crítico, sem deixar de ser poético, é doce sem deixar de falar de assuntos duros.
"De que é feita a memória dos sabores e dos cheiros?"
Esta pergunta permanece da leitura de alguns dos textos do “Lusitânia Online” do Luis Bento. A resposta, essa, espreita e em surdina diz-nos:
“É no amor, na saudade, no desejo, nas vivências...mas, acima de tudo, está nas raízes em que crescemos e que cumprimos pela vida fora como se nos mantivéssemos agarrados no cordão umbilical da terra que nos viu crescer.”

Bem hajas Luís Bento!
Um beijinho das tuas amigas, Ana Paula e Maria Margarida

Consulte: http://bento-vai-pra-dentro-bento.blogspot.com/

sábado, 14 de novembro de 2009

Aletria com ovos


Como prometemos alguns doces natalinos, e não só doces, hoje temos uma receita de aletria.
Aliás a receita me trouxe a memória de uma história de uma empregada na casa de uma tia que resolveu fazer esse doce mas usou espaguete. O sabor ficou até razoável,mas a consistência, a textura ficou estranhíssima.
Bom mas vamos ao que interessa.

Aletria com Ovos


Ingredientes (para 10 pessoas):
100g de aletria
4dl de leite
150g de açúcar
50g de manteiga
3 gemas
casca de limão
canela


Preparação:
Coze-se a aletria em água durante 5 minutos e escorre-se.
Em seguida, leva-se o leite ao lume juntamente com casca de limão, açúcar e a aletria e deixa-se cozer. Depois da aletria estar cozida, junta-se a manteiga e, fora do lume, misturam-se as gemas previamente batidas
Leva-se ao lume apenas para que as gemas cozam ligeiramente. Serve-se a aletria polvilhada com canela.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Bolo Rei II

Como prometido, deixo aqui a receita do bolo rei de que tanto gosto. Há-os à venda em muitos lugares, mas nada se compara a um bolo rei caseiro.

Bolo Rei

Ingredientes:
1,250 Kg de farinha de trigo
50 g de fermento de padeiro
3 dl de leite
250 g açúcar
12 ovos
300 g de manteiga
1 g de sal
150 g de passas
100 g de cidrão doce
100 g de ameixas
100 g de amêndoas
150 g de nozes
150 g de pinhões
frutas cristalizadas

Confecção:
Amassam-se duzentos e cinquenta gramas de farinha de trigo da melhor com cinquenta gramas de fermento de padeiro ou com vinte e cinco gramas de fermento, desfeito num decilitro de leite morno, tapa-se bem e deixa-se a massa a levedar em sítio quente, por cinco a seis horas.
À parte deita-se num alguidar um quilo de farinha, amassando-o com duzentos e cinquenta gramas de açúcar em pó, seis ovos inteiros, seis gemas, trezentas gramas de manteiga derretida, um grama de sal fino e dois decilitros de leite, devendo ficar uma massa consistente; podendo-se deitar mais leite se for necessário por a farinha ser muito seca. Misturam-se os duzentos e cinquenta gramas de farinha que se amassaram com o fermento, amassando tudo bem, e, em estando a mistura bem homogénea, juntam-se cento e cinquenta gramas de passas, cem gramas de cidrão doce cortado miúdo, cem gramas de ameixas de Elvas cortadas aos quartos e sem caroço, cem gramas de amêndoas sem pele, cento e cinquenta gramas de nozes cortadas em quatro bocados e cinquenta gramas de pinhões; amassa-se novamente para incorporar bem na massa todos os elementos que se juntam, cobrindo-se com um pano deixando levedar até aumentar o volume de metade, o que precisará de pelo menos de seis a dez horas, conforme a temperatura do ar e o estado atmosférico, sendo preferível preparar a massa à noite para cozer no dia seguinte.
Estando a massa bem levedada, fazem-se bolos em coroa, pondo-se no vazio do centro uma tigela ou um copo para não fechar; por cima da massa põem-se algumas ameixas de Elvas cortadas ao meio e peras ou outras frutas secas cristalizadas e algumas amêndoas, deixando repousar por duas horas, polvilhando com açúcar pilé e pondo-os a cozer no forno com calor forte. Antes de pôr no forno, pode-se pintar a massa por cima com gema de ovo. Feita a massa fazem-se os bolos e põem-se em tabuleiro indo ao forno de calor brando.


sábado, 7 de novembro de 2009

Menu de Domingo


Conforme prometido...o MENU DE DOMINGO...


SOPA CREME DE COUVE-FLOR

Ingredientes:
1 couve-flor pequena
1/2 cebola grande picada
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de margarina
2 colheres de sopa de farinha de trigo
1, 5 litros de água
1 cubo de caldo de galinha ou de legumes
200ml de leite
sal e pimenta a gosto
Salsa picada/ bacon picado/ crouton

Modo de Preparação:
Corte a couve-flor em pedaços e lave-os bem. Numa panela, coloque a água a ferver.
Num tacho, refogue a cebola no azeite e na margarina até ficar translúcida. Adicione a farinha, com cuidado para não queimar. Mexa bem.
Aos poucos, adicione a água. Mexa em ritmo regular. Adicione o caldo e a couve-flor. Deixe cozinhar em lume médio até a couve ficar cozer e ficar macia.
Rale tudo no liquidificador o com a batedeira eléctrica. Depois, junte o leite e deixe cozinhando em lume médio até ficar cremoso. Tempere de sal e de pimenta, se quiser.
Sirva polvilhado com salsa ou cubinhos de bacon. O crouton também acompanha muito bem.

TORNEDÓ COM COGUMELOS E VINHO DO PORTO

Ingredientes:
4 tornedós
pimenta preta
500 gramas de cogumelos
4 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de cebola finamente picada
1,5 dl de natas
1 colher de sopa de mostarda
sal , q.b.
1 dl de vinho do Porto
1 dl de caldo de carne

Modo de preparação:
Tempere os tornedós dos dois lados com pimenta preta. Prepare os cogumelos cortando-os em fatias. Leve os cogumelos a estufar com uma colher de manteiga e a cebola picada. Quando os cogumelos estiverem prontos, regue-os com as natas nas quais dissolveu a mostarda. Deixe cozer um pouco em lume brando. Tempere com sal e pimenta.
Aqueça duas colheres de manteiga numa frigideira e sobre lume vivo aloure os tornedós dos dois lados. Tempere-os com sal. Reduza a temperatura e deixe-os cozer um pouco. Retire os tornedós da frigideira e coloque-os num recipiente para não arrefecerem. Na frigideira em que alourou os tornedós, deite o vinho do Porto e o caldo de carne. Mexa bem o fundo da frigideira com uma colher de pau para desfazer os resíduos. Deixe reduzir. Fora do lume junte uma colher de manteiga e mexa.
Coloque os tornedós na travessa, contorne-os com os cogumelos e regue tudo com o molho.

CREPES DE GELADO COM CHOCOLATE QUENTE

Ingredientes:
2 dl de leite
2 colher de sopa de manteiga
2 ovos
100 g de farinha
1 c. (sopa) de aroma de baunilha
Gelado de menta, chocolate de culinária, cerejas e raspa de chocolate q.b.

Modo de preparação:
Aqueça o leite juntamente com uma colher, de sopa, de manteiga até esta derreter. À parte misture os ovos com a farinha e o aroma de baunilha e envolva no leite. Deixe repousar em cinco minutos. Coloque uma frigideira antiaderente ao lume e verta colheradas da massa para
fazer os crepes. Reserve-os. Depois de frios enrole os crepes e coloque no seu interior bolas de gelado de menta. Regue com chocolate quente, que derreteu antecipadamente, polvilhe com raspas do mesmo chocolate e decore com cerejas.
Pode optar por diferentes gelados e regar com mel, caramelo, compota…a imaginação e o gosto é ilimitada.

O VINHO…

No copo... coloração púrpura, boa transparência, denotando pouco corpo. Aromas um tanto tímidos, perfume de flores (violetas) e frutas vermelhas silvestres (morangos). Na boca é leve, com taninos redondos e acidez discreta. Álcool sem incomodar (13%). Final curto, mas agradável.

Menu do fim-de-semana











































Esse é o cardápio especial que a Maria preparou para o almoço de domingo.
Em breve as receitas e o vinho escolhido.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

BOLO DE QUEIJO



Para um fim-de-semana doce...

BOLO DE QUEIJO

Para a base:
150 gr, de manteiga sem sal (previamente derretida)
50 gr. de açúcar
3 colheres de chá rasas de fermento em pó
1 ovo
1 a 2 colheres de óleo
Sumo de ½ limão
Juntar farinha até obter uma massa que se possa moldar. Colocar a massa a descansar no frigorífico.

Para o recheio:
250 gr. de manteiga sem sal (previamente derretida)
200 gr. de açúcar
6 gemas
Entre ½ a 1 sumo de limão
2 colheres de sopa de farinha
1 kg de queijo (de preferência “fromage blanc” 0% de gordura)
Juntar todos os ingredientes. Bater as seis claras em castelo e envolver na massa do recheio (manualmente e não com a batedeira).

Retirar a massa do frigorífico, estendê-la e forrar uma forma de torta, previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha. Encher a forma com o recheio, deixando cerca de um centímetro até ao bordo. Vai ao forno, previamente aquecido a 170º. Tem de cozer, pelo menos, durante 1,5 horas.
Acompanha com qualquer compota...de preferência de frutos vermelhos...

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

BOLO REI

O tempo voa. Em breve chegará Dezembro e o Natal, a quadra de que mais gosto. Tudo fica iluminado e cheio de brilhos. Parece tudo mágico e lindo. Bom, para mim é.

Gosto também, e muito, das iguarias do Natal. Todas elas, porém a minha preferida é, sem dúvida, o bolo rei, que já começa a aparecer em algumas pastelarias. É simplesmente delicioso!

Hoje deixo-vos com uma Lenda do Bolo Rei que descobri lendo o blogue de Marina Mendes. Da próxima vez, deixarei aqui a receita.

***

Diz uma lenda que, quando os Reis Magos foram visitar Jesus, com a intenção de Lhe oferecerem como presentes ouro, incenso e mirra, a cerca de sete quilómetros do local onde o Menino se encontrava tiveram uma discussão: qual deles seria o primeiro a oferecer os presentes?
A solução foi-lhes dada por um artífice que, assistindo à conversa, quis ajudar a encontrar para o problema uma saída que agradasse a todos.
Ele faria um bolo em cuja massa incorporaria uma fava. Repartindo pelos três, seria o primeiro a oferecer os presentes ao Menino Jesus aquele em cujo quinhão se encontrasse a fava. O caso, diz a lenda, tornou-se conhecido e daí em diante passou a utilizar-se a fava sempre que havia necessidade de tirar à sorte uma pessoa para desempenhar uma tarefa.
Conhecido pelo nome de bolo rei - feito para escolher um rei - aquele doce passou a usar-se sobretudo no Natal, e os pasteleiros encarregaram-se de o comercializar.
***
Actualmente já não se coloca nem a fava, nem um brinde pequenino. Quem recebesse a fava teria de comprar o bolo rei no ano seguinte, já quem recebia o brinde, por muito insignificante que ele fosse, ficava todo contente. E assim se vai acabando com a tradição!

Jantar completo

Hoje, animada que ando com esse blog, resolvi apresentar um menu completo para um jantar.

Sopa de cogumelos
Salada verde com crouttons
Farfalle ao limão
Torta de amoras com iogurte


Sopa de cogumelos

100 g de cogumelos em conserva cortado em lâminas
250 ml de leite
2 colheres de sopa de farinha de trigo
sal q.b.
meia cebola picada
1 colher de sopa de manteiga
Queijo parmesão
Derreta a manteiga e junte a cebola, refogue até murchar,sem dourar.
Dissolva a farinha no leite e junte ao refogado.Mexa até engrossar,acerte o sal e sirva polvilhado de queijo parmesão.

Salada verde com crouttons

1/2 molho de alface americana
1/2 molho de alface crespa
queijo parmesão em lâminas gossas
1 colher de chá de mostarda
1/2 colher de sopa de sumo de limão
sal q.b.
1/2 colher de chá de acúcar
1/2 cebola ralada
100 g de crouttons
Lave s folhas de alface e arrume num prato.Prepare o molho com a mostarda, o açúcar, o limão, a cebola e o sal. Misture bem e jogue sobre a salada.Salpique com o queijo e os crouttons e sirva.


Farfalle ao limão

Ingredientes
200 g de farfalle
10 folhas de manjericão
1 colher (sobremesa) de suco de limão
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
100 ml de creme de leite (de caixinha ou em lata sem o soro)
1 cebola ralada
100 g de presunto em cubinhos
sal q.b.
Modo de Preparo
1. Numa panela, coloque 2 litros de água e 1 colher (sopa) de sal. Leve ao fogo alto.

2. Enquanto a água ferve, prepare o molho. Lave as folhas de manjericão sob água corrente e seque em papel-toalha.

3. Refoque a cebola no azeite, junte o presunto, o creme de leite, o sal e o limão . Reserve.

4. Quando a água ferver, coloque o macarrão e deixe cozinhar conforme as instruções da embalagem. Cuidado para não deixar o macarrão cozinhar demais, ele deve ficar al dente.

5. Com cuidado, escorra a água e transfira o farfalle para a panela com molho e ferva por um minuto. Misture bem, junte o queijo e o manjericão picado e misture mais uma vez. Sirva


Torta de amoras

100g de geleia de amoras
amoras frescas para decorar
2 copos de iogurte natural
meia xícara de açúcar
1 pacote de gelatina sem sabor
100 g de margarina amolecida
200 g de bolacha Maria ou de maizena moída

Junte a margarina amolecida ao biscoito moído e trabalhe a massa. Forre uma forma de fundo removível ou um pirex com a massa.Leve ao forno por 10 minutos.
Amoleça a gelatina em 5 colheres de sopa de água por alguns minutos.Leve ao fogo em banho-maria para dissolver. Bata o iogurte com o açúcar e junte gelatina.Reserve.
Cubra a massa com a geleia. Cubra com o creme de iogurte e leve a gelar.Quando estiver bem gelada enfeite com as amoras frescas.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

QUICHE DE BACALHAU COM ESPINAFRES‏


Um dos mais deliciosos e práticos pratos para um jantar gostoso e nutritivo são as tortas, quiches e afins.
Hoje a Maria me mandou essa receita que divido com os leitores do blog.

Ingredientes:

1 embalagem de massa quebrada
2 postas de bacalhau
1 embalagem de espinafres congelados
3 ovos
200 ml de leite
1 colher de sopa de farinha
3 dentes de alho grandes
Azeite q.b.
Sal q.b.

Modo de preparação:

Depois de cozido o bacalhau, retire todas as peles e as espinhas, desfiando-o.
No liquidificador, coloque os ovos inteiros, o leite e a farinha. Misture tudo.
Num tacho, coloque o azeite e os alhos picados. Junte os espinafres e
refogue um pouco. Depois adicione o bacalhau e por fim o batido dos
ovos.
Deixe engrossar mexendo sempre até ganhar consistência.
Num pirex, coloque a massa quebrada e pique-a com um garfo. Depois,
adicione o preparado, enrole para dentro as pontas da massa e leve ao
forno a 160ºC por aproximadamente 25 minutos. Quando a massa ganhar
uma cor dourada está pronta.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

TARTE DE SALMÃO E ESPARGOS

Pouco tempo = receitas fáceis! ...mas deliciosas!


TARTE DE SALMÃO E ESPARGOS

Ingredientes:
1 pacote de massa folhada congelada
200g de espargos
100g de salmão
200ml de creme de leite fresco
3 ovos
1/2 casca de limão ralado
Sal e pimenta

Modo de fazer:
Esquentar o forno a 220°C
Untar uma assadeira quadrada, esticar a massa e forrar.
Colocar por sobre ela uma folha de papel alumínio e espalhar uns feijões e levar ao forno para selar uns 15 minutos
Levar a ferver em uma panela água e sal. Quando ferver colocar os espargos e cozinhar por uns 2 a três minutos, retirar do fogo e colocar os espargos em uma vasilha com água e gelo.
Cortar o salmão em tiras e acondiciona-lo por sobre a massa, polvilhar com um pouco de sal.
Colocar os espargos por cima do salmão
Misturar os ovos com o creme de leite e o limão ralado o sal e a pimenta
Levar ao forno ate dourar e solidificar o creme de leite.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Mousse de Iogurte de Morango


Essa aí é para o maior fã de iogurte da face da Terra...
Simples, rápida e deliciosa.

Mousse

250ml iogurte sabor de morango
1 gelatina sabor de morango
100ml de creme de leite (natas)
Dissolva a gelatina na água quente. Junte o creme de leite, a gelatina e o iogurte.Bata com um fuet ou no liquidificador.
Leve para gelar até ficar concistente.


Calda
1 xícara de morangos frescos em fatias
1/2 xícara de açúcar
Leve uma panela pequena ao fogo por 10 minutos, mexendo sempre.
Leve a gelar e sirva sobre a mousse.

SOUFFLÉ DE ATUM


O jantar de hoje...

SOUFFLÉ DE ATUM

Ingredientes:
2 latas de atum
60 g de margarina
60 g de farinha
4 dl de leite quente
4 ovos
Sal, pimenta e noz-moscada
Sumo de limão a gosto
Margarina para untar a forma pirex
Queijo ou pão ralado para polvilhar

Modo de preparação:
Escorra o óleo das latas de atum e esmague-o muito bem com a ajuda de um garfo. Derreta a margarina, junte-lhe a farinha e mexa muito bem. Adicione o leite quente, mexendo sempre para não granular. Quando estiver bem ligado, conserve sobre o lume brando até levantar fervura, mexendo bem e sempre para não pegar. Retire do lume, junte as gemas, misture e leve novamente ao lume, mexendo até engrossar, mas sem deixar ferver. Tire do lume e tempere a seu gosto com sal, pimenta, noz-moscada e umas gotas de sumo de limão.
Misture também o atum e deixe arrefecer.
Bata as claras em castelo, junte-lhes algumas gotas de sumo de limão e bata-as até ficarem bem firmes.
Noutro recipiente misture as claras ao preparado de atum, com muito cuidado e aos poucos, mexendo de baixo para cima sem bater.
Unte um pirex com margarina, dentro o preparado e alise-o.
Polvilhe com queijo ou com pão ralado e leve a cozer no forno entre 15 a 20 minutos.
Está pronto quando tiver crescido bastante e apresentar uma crosta. Retire do forno e sirva imediatamente, acompanhado de salada verde.

Hummmm…é bom!!!

domingo, 1 de novembro de 2009

RABANADAS


Eu sei...o Natal ainda vem longe mas sempre se sente a vontade de um doce tradicional! Em homenagem à Ana Paula, pela sua simpatia e carinho, apresento um dos meus doces de Natal preferidos. Espero que gostem!

RABANADAS

Ingredientes:
• 1 pão cacete;
• 3 dl de leite;
• 4 ovos;
• 300 g de açúcar;
• canela em pó e um pau de canela;
• 1 casca de limão ;
• óleo para fritar

Modo de Confecção:
Leva-se o leite a ferver com duas colheres de sopa de açúcar, a casca de limão e um pau de canela. Se não quiser usar açucar, pode optar por mel (com o mel de rosmaninho fica excelente)
Batem-se os ovos muito bem, de modo que a clara fique imperceptível.
Já com o pão cortado em fatias (com cerca de 1,5 cm), passam-se as ditas fatias, primeiro pelo leite e depois pelos ovos. Fritam-se em óleo bem quente e escorrem-se sobre papel absorvente ou sobre um pano.
Servem-se polvilhadas com açúcar e canela ou com calda de açúcar.

Nota: Deitem um pouco de Vinho do Porto por cima da rabanada...e coma! Hummm! É para lá de bom!

BACALHAU À GOMES DE SÁ



Ingredientes :
(para 4 pessoas)


•500 gr de bacalhau
•500 gr de batatas
•2 cebolas
•1 dente de alho
•1 folha de louro
•2 ovos cozidos
•1,5 dl de azeite
•azeitonas pretas
•Salsa, sal e pimenta q.b.

Modo de preparação:

Demolhe o bacalhau, coloque-o num tacho e escalde-o com água a ferver.
Tape e abafe o recipiente e deixe ficar assim durante cerca de 20 a 30 minutos.
Escorra o bacalhau, retire-lhe as peles e as espinhas e desfaça-o em lascas.
Ponha estas num recipiente fundo, cubra-as com leite bem quente e deixe ficar de infusão durante 01:30 a 03:00 horas.
Entretanto, corte as cebolas e o dente de alho às rodelas e leve a alourar ligeiramente com um pouco de azeite. Junte as batatas, que foram cozidas com a pele, e depois peladas e cortadas às rodelas.
Junte o bacalhau escorrido.
Mexa tudo ligeiramente, mas sem deixar refogar. Tempere com sal e pimenta.
Deite imediatamente num tabuleiro de barro e leve a forno bem quente durante 10 minutos.
Sirva no prato em que foi ao forno, polvilhado com salsa picada e enfeitado com rodelas de ovo cozido e azeitonas pretas.

EMPADÃO DE GALINHA



Ingredientes:

1 galinha inteira
1 cebola média
1,5 dl de vinho branco
1 dente de alho
1 caldo de galinha
2 colheres de sopa de margarina
1 colher de sopa de azeite
azeitonas pretas q.b.

Para o Puré:
1kg de batatas
1,5 dl de leite
sal q.b.
pimenta q.b.
1 pitada de noz-moscada
1 colher de sopa bem cheia de manteiga ou margarina
gema de ovo para pincelar o puré


Preparação:
Depois de cozida a galinha com um caldo também de galinha e um pouco de sal, deixa-se esfriar e desossa-se. Corte em porções pequenas ou passe no picador. Reserva-se.
Leve a lume brando a margarina, o azeite, a cebola e o alho picados e deixe refogar até alourar,
Junte a galinha picada, mexa bem, junte o vinho branco. Tempere com sal e pimenta e deixe estufar cerca de 15 minutos em lume médio. Depois de estufada, reserve.
Descasque, lave e coza as batatas. Depois de cozidas, reduza-as a puré ao qual junta a manteiga ou margarina e o leite. Mexa muito bem. Tempere com sal pimenta e noz-moscada.
Num pirex, deite uma camada de puré e alise, por cima o estufado da carne, cubra com o restante puré. Pincele com gema de ovo. Caso goste, decorar com rodelas de chouriço e azeitonas. Vai ao forno a alourar.

Sirva acompanhado com uma salada verde ou mista.

PUDIM DE PÃO





Ingredientes:
4 ovos
200 gr de açúcar fino
1/2 Litro de leite
5 fatias de pão de forma sem côdea
1 colher de sopa de laranja em sumo

Modo de preparação:
Põe-se o pão a demolhar no leite aquecido.
Tritura-se com a varinha mágica, para que fique desfeito.
Juntam-se os ovos inteiros, batidos à parte.
De seguida, adicione o açúcar e o sumo de laranja.
Mexa tudo.
Vai a cozer em banho-maria, no forno, em forma caramelizada.

Desenformar depois de frio.

FRANCESINHA À MODA DO PORTO




Composição:
2 fatia(s) de pão de forma
2 fatia(s) de fiambre
2 fatia(s) de queijo emmental
2 salsichas
q.b. de linguiça
1 bife de vazia
1 garrafa de cerveja
1 caldo de carne
2 folha de louro
1 colher (sopa) de margarina
1 cálice de vinho do Porto
1 colher (sopa) de amido de milho
2 colher (sopa) de polpa de tomate
1 dl de leite
q.b. de piripiri

Preparação:
1.Cortar duas fatias de pão de forma alto e colocar fiambre, salsicha, linguiça, carne assada ou bife.
2.Colocar a sandes no meio de um prato, cobrir com uma fatia de queijo e cobrir de molho, e levar ao forno quente a gratinar.

Molho:
1.Disolver bem a maizena com o leite, juntar a cerveja, caldo de carne, folhas de louro,mrgarina, brandy ou Porto, polpa de tomate, leite e piri-piri.
2.Levar ao lume até ferver e engrossar um pouco mexendo para não pegar

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

E a chuva trouxe aromas e sabores...

Num tempo já distante quando a vida corria devagar, as refeições eram precedidas sempre de uma sopa feita lentamente e rica em sabores e aromas.
Eu,partircularmente, não gosto nada da clásssica sopa de legumes, aliás detesto. Sopa para mim tem que ser farta em linguiças, toucinho e feijão e trazer junto um massa curta e os legumes são só para dar um leve colorido.
Quando era criança, péssima para comer, a única sopa que satisfazia, vez por outra, meu paladar era a da minha avó Anita.
Ontem, depois de dois dias de chuva intensa, resolvi ir para a cozinha preparar uma sopa fumegante e reconfortante. Quando já estava quase pronta perguntei a minha mãe se lembrava daquele aroma, ela não lembrou, mas para mim a sopa trouxe de volta o cheiro da sopa da minha avó.
Nesses nossos tempos corridos, não houve outro prato paar complementar a refeição depois da sopa,mesmo porque já foi demasiadamente calórica.

Saboreamos a delícia sem culpa com umas torradinhas.

Sopa de feijão e massa



300 g de feijão vermelho ou outro da preferência cozido e batido no liquidificador
250 g da massa curta da preferência (usei a conchinha)
100 de bacon (de preferência com pouca gordura e muita carne) em cubos

1 linguiça de sua preferência q.b. em pedaços
cerca de 2 litros de água
4 dentes de alho picados
1 cebola grande picada
1 folha de louro
sal q.b.
1 cenoura em cubinhos

1 pedaço de abóbora em cubos (mas ou menos o mesmo volume da cenoura)
1 batata em cubos (usei a doce)

Refogue o alho e a cebola com o bacon. Quando alourar junte o feijão batido e espere apurar, junte a água fervente e o louro e corrija o sal.
Junte os legumes picados.
Quando os legumes estiverem cozidos al dente junte mais água fervente e depois a massa.
Mexa bem e não deixe que pegue no fundo panela. Se for necessário junte mais água fervente. Quando o macarrão estiver cozido, corrija sal e temperos, junte a linguiça e sirva com torradas

sábado, 24 de outubro de 2009

As Mottas e as compotas

Conversando com a Maria Lessa na internet acabei falando sobre a tradição da família da minha mãe em fazer compotas e ela soltou a expressão que dá título a esse post.
Desde pequena gostava de comer as delícias que saiam da cozinha da minha mãe, de uma tia-avó e da minha avó materna.
Era uma criança que dava trabalho para comer, crescia muito e engordava pouco mas adorava as sobremesas,mesmo as que criança normalmente não gosta como doces de laranja, abóbora, ambrosias,pastéis de nata, mamão.
Minha avó e a tia-avó faziam também licores e eu comecei a apreciá-los ainda na adolescência, depois do almoço.
Fazer compotas parece fácil,mas é uma arte. Requer paciência, cuidado e um certo "tato" para reconhecer que precisa de um pouco mais de água ou de açúcar.
Deixo aqui a receita do mais fácil dos doces, o de abóbora.



Doce de Abóbora

1 abóbora grande
açúcar de acordo com o volume da abóbora
cravo-da-índia q.b.
1 pau de canela
côco ou amêndoas q.b. (opcional)

Corte a abóbora em pedaços grandes, retire as sementes e filamentos,sem tirar a casca.Leve a cozer em fogo alto com bastante água.Quando estiver cozida, retire a casca e amasse com uma garfo.Messa a quantidade de abóbora e acrescente o mesmo volume de açúcar (use um prato para isso).
Junte os cravos e a canela, leve ao fogo brando.Mexendo de vez em quando.
Deve soltar do fundo da panela e ficar bem brilhante.Leva muito tempo para ficar pronto porque a abóbora deve ficar bem ligada ao açúcar e com um sabor uniforme. Se quiser ao final junte côco em flocos ou amêndoas em lâminas e deixe cozer mais uns cinco minutos.
Espere esfriar e sirva numa compoteira.

Numa outra ocasião deixo aqui a receita do doce cristalizado em pedaços.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Pão dos anjos

As minhas lembranças mais remotas dos anjos em minha vida são da oração para o anjo da guarda, acho que a primeira que a maioria das crianças aprende.
Na época da escola católica (dos seis aos catorze anos) queria ser escolhida para ser um dos anjos que coroava Nossa Senhora de Fátima em maio. Nunca fui, minha irmã sim e achava uma injustiça porque achava que ela era mais travessa que eu,rs.
Não fui escolhida mas me vesti de anjinho numa procissão de São Pedro. E flutuei literalmente, eu explico.Minha avó preparou uma coroa de flores delicadas e brancas, mas apertou demais e no meio da procissão eu senti uma sensação estranha como se estivesse nas nuvens, quase desmaiei, fui salva pela minha mãe que me tirou o adorno dos cabelos.
O tempo passa mas algumas coisas marcam nossa vida. Minha amiga Natália me apresentou a uma novena dos anjos. Quando fazia as orações tinha esperança de ser atendida, mas também ficava em dúvida,confesso. Meu anjo da guarda, sempre alerta, estava ali ao meu lado.
Se quiser conhecer a oração clica aqui.
Mas e o pão? Bom o site ensinava a fazer um pão dos anjos como forma de agradecimento e foi aí que descobri a receita de pão mais gostosa que jamais fiz. É macio,saboroso e ajuda a tornar o mundo melhor.
"Pão dos Anjos"


Rendimento: 2 pães grandes
Tempo de preparo: 3 horas e meia

Ingredientes

1 colher(sopa) de fermento seco
300 ml de água
1/2 xícara (chá) de mel
1 colher ( sopa) de sal
120 ml de óleo
5 a 6 copos ( de 200 ml) de farinha de trigo integral fina

Preparação

Dissolva o fermento em pequena quantidade de água morna. Quando ficar bem espumoso ( aprox. 10 min.), misture com mel, o sal e óleo. Acrescente a água restante e metade da farinha. Misture bem. Vá colocando mais farinha aos poucos, até que a massa fique macia, sem agarrar nos dedos. Amasse. Cubra com um guardanapo e deixe descansar mais ou menos 2 horas ( o volume da massa deve dobrar). Amasse por 2 minutos e deixe crescendo por mais meia hora. Faça os pães, colocando-os em forma untada e deixe crescer novamente, até que dobrem de tamanho. Asse-os em forno quente e tire das formas logo após saírem do forno.

Aqui em casa foi um sucesso e já entrou na lista das minhas receitas preferidas.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Sem histórias,mas com música e sabor


Costumo escrever histórias, em geral lembranças, antes das receitas. Dessa vez faço diferente e trago um vídeo do U2.

Banda que gosto muito e que está aqui por conta de uma história, mas essa fica pra próxima.

Quanto a receita, trago um Bacalhau com Natas, receita que não é minha,nem de família mas que nem por isso deixa de ser deliciosa.

P.S.
Cometi um engano no link da Blogagem Coletiva Dormir Aqui e Acordar Noutro Lugar e escrevi o endereço desse blog.
Aqui vai o endereço correto lá do Quarto de Segredos: http://quartodesegredos.blogspot.com/2009/09/blogagem-coletiva-dormindo-no-quarto-de.html




Bacalhau com Natas


Ingredientes:
600 g de bacalhau
2 cebolas médias
30 g de farinha
30 g de manteiga
1,5 dl de leite
250 g de natas (creme de leite)
1 folha de louro
sal
pimenta
cravinho
1/2 kg de batata
Confecção:
Corta-se o bacalhau e coloca-se num recipiente com água de véspera, tendo o cuidado de lhe mudar a água várias vezes.Retira-se o bacalhau e leva-se a cozer em água limpa, após o que se desfia.Cortam-se as cebolas em rodelas finas e as batatas em palitos os mais finos possíveis, fritando-as à parte num tacho.Leva-se ao lume a manteiga, a que se junta a farinha, mexendo bem. Adiciona-se o leite, previamente fervido, lentamente, mexendo sempre, e deixa-se cozer, continuando a mexer com uma colher de pau. Por fim, tempera-se com sal e pimenta e juntam-se as natas para culinária Parmalat quando adquirir uma consistência muito cremosa. Leva-se o azeite ao lume numa frigideira, juntando de seguida a cebola e deixa-se refogar. Assim que começar a alourar, junta-se o bacalhau desfiado para que refogue um pouco.Num tabuleiro de ir ao forno untado com manteiga deita-se este preparado, pondo uma camada de batatas por cima.Cobre-se tudo com o creme de natas e leva-se ao forno para ganhar um pouco de cor.
Fonte: http://www.gastronomias.com/

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Férias de Verão

Foto de Fernando Cardoso
***

As férias de Verão estão quase, quase a chegar. Finalmente! E que bem que fazem! É tão bom relaxar, nada ter o que fazer a não ser ler um bom livro, estar na praia ou na piscina e depois, a meio da tarde comer um petisco! Um bom petisco acompanhado com pãozinho fresco, vinho verde ou cerveja, ao ar livre…



Os petiscos da cozinha portuguesa são deliciosos. Conto-vos um pouco da história de um que aprecio bastante Amêijoas à Bulhão Pato!

As Amêijoas à Bulhão Pato são um prato típico da culinária portuguesa, de origem da região de Estremadura. Diz-se que o nome deste petisco é um tributo ao Poeta português Raimundo António de Bulhão Pato, após este ter mencionado um cozinheiro nos seus escritos.

Este é porventura o petisco mais conhecido e encontrado nos restaurantes portugueses. É um prato muito comum em marisqueiras e cervejarias, a par com a salada de polvo, salada de ovas e camarão.

É um prato muito simples de confeccionar e é na simplicidade que reside o seu encanto. Experimentem!

*******



******

Amêijoas à Bulhão Pato


Ingredientes:

Para 4 pessoas

1 kg de amêijoas
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
3 colheres de sopa de vinho branco
1 limão
1 raminho de coentros
sal
pimenta


Confecção:
Arranjam-se as amêijoas como habitualmente, pondo-as de molho em água com bastante sal e lavam-se em várias águas para largarem a areia.Leva-se ao lume o azeite, deixa-se aquecer e juntam-se os dentes de alho picados. Deixa-se alourar um pouco.Introduzem-se as amêijoas e os coentros finamente picados e tempera-se com sal e pimenta. Adiciona-se o vinho branco. Mexe-se o recipiente de vez em quando. Quando todas as amêijoas estiverem abertas, retiram-se do lume. Servem-se com o restante limão cortado em quartos.







quarta-feira, 15 de julho de 2009

Tertúlia virtual - Da delicadeza das pessoas

Já escrevi um post chamado Da Delicadeza das Coisas hoje pensei no que há de delicado em algumas pessoas com quem convivemos.

Conseguem nos trazer uma paz de espírito, trazem um bem para a nossa vida (sem que para isso precisem de muito esforço),são presenças confortadoras,carinhosas, que “afagam a alma”.

Estou rodeada de algumas pessoas assim. Uma em especial. Que quando chega consegue transformar meu desassossego em um mar de tranqüilidade, meu desespero em esperança, meu medo em coragem.

Não sei se sou assim para alguém, algumas me procuram em momentos difíceis. Não sei (acho que não) se chego perto dessa capacidade de ser um porto seguro para alguém, mas me ponho disponível mesmo assim.

Essas pessoas com a delicadeza de SER, não são muito fáceis de encontrar por aí. São especiais demais. Não encontrei muitas delas em minha juventude, por exemplo, talvez eu que não tenha sabido reconhecê-las. Hoje não deixo escapar. Amadurecer é também isso.

Gente assim fala do “céu de um azul celeste celestial” sem ser piegas, fala de nascer de dia, de sol e de fadas e sonhos. Gente,sim...

*Texto originalmente postado no meu blog Todos os Sonhos de Abril



Pra tanta delicadeza só a leveza dos Suspirinhos da Vovó.

Suspirinhos da Vovó Bande

3 claras

6 colheres de açúcar de confeiteiro

Raspas de um limão

Bata as claras em neve firme (em castelo). Aos poucos vá juntando o açúcar, incorporando delicadamente. Ao final junte as casquinhas de limão. Leve um tabuleiro ao forno para aquecer, faça pequenos suspiros com a ajuda de duas colherinhas (ficam como montinhos) e leve ao forno baixo até ficarem firmes (não devem corar).

Espere arrefecer e retire com cuidado,guarde em latas bem vedadas paar que se mantenham crocantes.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...