terça-feira, 27 de março de 2012

Doces e amargas lembranças

Na minha infância, eis que um certo dia mudou -se para a minha rua, uma família de libaneses.Já estava no Brasil há alguns anos.Fixou residência primeiro em São Paulo,onde nasceram os 3 filhos.A amizade entre os vizinhos logo surgiu, e eu tratei de ciceroneá-los no mais que pude.E assim, os novos amigos, cursaram a mesma escola,conheceram cantos e recantos da cidade...
Quase todas as tardes - eu e minha irmãs - éramos convidadas para lancharmos na residência deles.
Confesso que me lembro de delícias degustadas como:quibes,esfihas,doces...como também confesso a dificuldade de sorver o café típico do país de origem.Procurava sempre um jeito de recusá-lo,mas não conseguia.A ponto de certo dia (coisas de criança!) deixar cair dentro da xícara o doce que estava em mãos! Mas a mãe deles - zelosa e educada - percebeu e me trouxe outra xícara...
Mergulhada nessas lembranças(a título de curiosidade) fui pesquisar sobre a cultura daquele país .Encontrei um post delicioso e que reproduzo para vocês:

"No mundo árabe, a cerimônia de preparar e servir o café faz parte da tão conhecida hospitalidade árabe, é sinal de que a visita é bem-vinda e honrada por seu anfitrião.

No deserto ou em uma casa árabe moderna, o tradicional preparar e servir o café é sempre feito com muita dedicação. O ritual básico não mudou muito através das gerações.

Tradicionalmente no deserto o café é preparado na fogueira, em um utensílio, bule especial conhecido como dale. O tradicional fogo de chão é o preferido para o preparo do café porque dizem adicionar um sabor especial. O café depois de pronto e preparado com temperos especiais como hal (cardamomo),ou gotas de água de rosas (opcional). é servido em outro bule especial limpo, acompanhado de pequenas xícaras sem alça. O café árabe não é coado, espera-se a borra sentar no fundo para servir. O anfitrião costuma servir um pouco em cada xícara e costuma-se repetir por várias vezes, o café geralmente é servido amargo nessas ocasiões.

No dia a dia, o café é preparado em pequenas quantidades também em um bule especial sem tampa, pode ser murrah (amargo), mazbutah (no ponto) ou hilua (doce), acompanha um copo de água.

A maneira de preparar é fácil, coloca-se água a ferver no bule e adiciona-se açúcar, quando dissolver o açúcar coloca-se a quantidade de café desejada, tempera-se com um pouco de cardamomo , mexe-se com uma colher até levantar espuma, sem ferver. Tira-se o bule do fogo e coloca-se uma colherinha de espuma em cada xícara de café, espera-se a borra sentar um pouco no fundo e está pronto para servir. “Tafadal!”. “À vontade, sirva-se!”.

Obs.:No meu grifo acima está talvez a resposta à minha estranheza no paladar!

3 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, tinhas razão em não gostar e estranhar.

Eu não sabia desses costumes!

Bom saber da diversidade cultural,não?

beijos,chica e tudo de bom!

Ana Paula Motta disse...

As delícias da cozinha árabe que acabaram se tornando tradicionais na nossa terra. Wal, lembra do Monte Líbano? Adorava as esfihas.

walnize carvalho disse...

Aninha,
Esta família a que me referi é fundadora do Monte Líbano:Sr. George ,D. Antoniete,Nicolas,Marcelle...Saudades imensas de todos!Tenho sempre notícias deles.
Em tempo:amo toda a comida árabe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...